quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Planeta no Vermelho desde 27 de Setembro


Déficit também é ecológico - 10 perguntas para consumidores - Crise Econômica e Ecológica Mundial



Planeta no Vermelho desde 27 de Setembro


Por Marise Jalowitzki
28.setembro.2011
 http://ning.it/nc1UXu

De acordo com a fundação para assuntos econômicos NEF – New Economics Foundation, com sede em Londres, o planeta entrou em vermelho no último dia 27.setembro.

Não, não estou comentando apenas sobre a crise econômica mundial, a referência é fruto de uma análise sobre o uso dos recursos naturais.

Como se fosse uma grande empresa, os cálculos são feitos com base no que é produzido – e como é produzido – levando em consideração os ainda existentes e disponíveis recursos naturais: qualidade do ar, qualidade do solo, das águas. A estimativa é feita com base em TODOS os países, poluidores em potencial ou não, considerados “desenvolvidos”, “emergentes” ou o nome que se quiser dar.

Assim, a “dotação orçamentária” dos recursos para 2011, foi ultrapassada. Estamos literalmente no vermelho até o final do ano. Gastando além do limite, usufruindo do que já não está à nossa “disposição”.


Déficit ecológico - Impactos ambientais imensos - Onça em árvore


(27.setembro.2011 - Onça encontrada na Grande São Paulo - Provavelmente fugitiva das matas queimadas -  foi encaminhada para zoológico de Guarulhos - Foto: Agência Estado)



Vivemos o déficit ecológico


Como qualquer empresa, a natureza tem um "orçamento" anual.


“A Verdade é que o fundamento do nosso sistema econômico e social constitui ameaça ao sistema natural!”, arremata a NEF.

Qual a consequência?  -  acúmulo de gases de efeito estufa e um sempre crescente nível de poluentes, superiores ao que a terra pode abarcar.

Viver no vermelho, “comprar” a crédito, acima do orçamento do funcionamento normal, carrega um peso extra para o planeta: as mudanças climáticas ainda mais drásticas, perda de biodiversidade e escassez de água, alimentação e condições dignas de vida para os menos favorecidos, diz a organização.


"Você pode produzir uma série de recursos, e tem uma certa capacidade para substituir ou absorver o volume de poluentes e outros impactos gerados. O problema surge porque toda a humanidade consome mais recursos do que a natureza pode produzir anualmente e gera mais poluição do que pode neutralizar!” – diz a Fundação News Economics.

 
"Sem estabilidade ecológica, não pode haver estabilidade econômica. Na verdade, a crise econômica nos mostra os riscos e consequências de gastar mais do que você tem", diz Aniol Esteban, chefe de economia ambiental da New Economics Foundation.


Parecer semelhante é o de Mathis Wackernagel, presidente da Global Footprint Network: "O que está acontecendo com a nossa exploração dos recursos, é como gastar o seu salário anual três meses antes do final do ano, e dependendo da sua economia, ainda mais."


A Global Footprint Network é uma organização que tem popularizado a economia ecológica, calculando o impacto causado pelas atividades humanas no planeta.
 
A crise não diminuiu a demanda por recursos naturais. Apesar da recessão global, os dados indicam que desde outubro de 2008, a demanda por recursos naturais tem continuado a crescer embora mais lentamente do que no período 2000-2008.




É preciso levar em conta os verdadeiros impactos da atividade econômica mundial.






Biomassa - Recursos naturais e ecologicamente sustentáveis precisam substituir os tradicionais geradores de energia
 
"A estabilidade da economia, os níveis de emprego e de bem-estar dos cidadãos, dependem do bom funcionamento do nosso sistema natural, entretanto, os cálculos anunciados consideram diretrizes econômicas que não refletem os verdadeiros aspectos ecológicos e sociais da atividade humana", declara Aniol Esteban .


"O cálculo econômico que guia governos, empresas e consumidores está distorcido. A crise financeira foi em grande parte motivada pela vontade de construir um sistema que apresenta uma imagem distorcida da realidade econômica, que não mostra o verdadeiro valor (custo) dos produtos. E este é o mesmo problema do nosso sistema econômico", diz .

"Nos acostumamos a receber e usufruir de produtos como se fossem só benefícios, quando, na verdade, representam uma perda de riqueza para toda a sociedade. Levar um recurso natural ao colapso – como está acontecendo com os estoques de aquíferos, de florestas, de pesca, extração de castanhas e tantos outros -  significa acabar com uma fonte infinita de alimentos, empregos e riquezas - é considerado como um fator positivo no cálculo do PIB – Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas de um país.” – arremata Esteban.


Consumismo exagerado leva a descarte tóxico - Consumidores podem frear essa corrida


Pergunte-se: Você precisa mesmo de um novo celular, ou é o modelo da hora que interessa?



Onde é preciso mudar

É preciso alterar o modo de medir e descrever a atividade econômica. Isto é essencial para garantir a boa gestão dos nossos recursos naturais e provisão de bens e serviços que prestamos.

O ambiente natural pode operar sem a economia, mas o contrário, não! " - alerta o especialista. 

Fonte: 
 
(continua)



Consumo deve ser equilibrado. Comprar só o que realmente utiliza



O QUE VOCÊ PODE FAZER

10 Perguntas para Consumidores

Cada um de nós é responsável por sua pequena parcela. Onde não há procura, não há oferta. Onde não há consumidores para determinado produto, não há determinado produto!

Mesmo a crise "pegando geral", há inúmeras pessoas que ainda não se conscientizaram de que ser econômico, aplicando bem o orçamento, significa ser sovina ou "carente". Significa ser equilibrado. E consciente.

Assim, responda sinceramente:

1 - Você quer fazer a diferença?

2 - Antes de comprar uma roupa nova, pergunte-se: Preciso MESMO dessa roupa? Ou é apenas para satisfazer um capricho?

3 - Você PRECISA MESMO de uma geladeira nova (ou de um outro eletrodoméstico qualquer) ou é apenas para mostrar para os vizinhos que adquiriu o último modelo?

4 - Quando você vai a um buffet, voce se serve com o que consome ou costuma deixar restos no prato, aumentando o despedício, o lixo e o chorume?

5 - Ao comprar frutas, verduras e legumes, você calcula o que vai, efetivamente, consumir nos próximos dias? Quanto de descarte de alimentos perecíveis vão fora por terem estragado em sua geladeira?

6 - Quando você faz a revisão em seu estoque de cereais (arroz, açúcar, farinha, etc.) quanto costuma ir fora por já ter o prazo de validade vencido? Que tal acabar de vez com isso? Que tal comprar de acordo com o que vai consumir?

7 - A velha questão do consumo d'água. Você sabia que 40% da água tratada vai fora, é desperdiçada? Avise os órgão públicos SEMPRE que enxergar um cano rebentado, um hidrante, um vazamento. Pegue um e-mail de algum jornalista de um periódico de sua cidade e denuncie.

8 - No seu prédio as luzes, vez por outra, costumam ficar ligadas durante o dia? Vá à reunião de condomínio e sugira o uso de minuteiras, o controle automático de liga-desliga.

9 - Você precisa, REALMENTE, usar a máquina de lavar roupa para qualquer pecinha? Por vezes, um hábito sistemático de lavar pequenas peças sob o chuveiro, na hora do banho, reduz em muito a quantidade semanal (ou diária, em alguns casos).

10 - E por fim, você tem vergonha de parecer econômico? PENSE na riqueza que é importar-se com os outros, com o bem estar geral. Isso, sim, é ser próspero.


---------




Leia mais sobre Preservação e Desmatamento

Link: http://ning.it/gwfVfk



Preservação ambiental e dos animais selvagens




Pra ter opinião, tem de conhecer!
 


Marise Jalowitzki
Compromisso Consciente







compromissoconsciente@gmail.com
Escritora, pós-graduação em RH pela FGV,
international speaker pelo IFTDO-EUA

Porto Alegre - RS - Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário