quinta-feira, 18 de abril de 2019

Açúcar refinado, chocolate e câncer - Dr. Claudio Rhein



Por Dr. Claudio Rhein MD
18.abril.2019
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/04/acucar-refinado-chocolate-e-cancer-dr.html

Me acompanha, por favor.
Não existe nada mais acidificante que o açúcar refinado, sendo o combustivel preferencial da célula cancerosa.
Portanto, no tratamento dessa doença, um dos elementos a ser imediatamente abolido é esse carboidrato refinado, pois é disso que a célula se alimenta.
Vi por aí que a população está sendo convocada para arrecadar chocolate ou doações em espécie, para crianças cancerosas.
Crianças que estão dramaticamente acidificadas, pois não fosse assim, não estariam enfrentando tamanho sofrimento.
E acidez tem a ver com doceria (entre outros fatores mais).
Assim, por um lado a quimioterapia (feita para combater os efeitos da acidez), por outro, o chocolate (que aumenta para mais, o que já anda excessivamente ácido).
É o efeito da desinformação.
Por isso, não poucas vezes, atos de amor mais resultam em sofrimento que efetivamente em afeição.




 Dr. Claudio Rhein - MD é de Caxias do Sul - RS 
Médico pediatra e adulto, formado pela UFSM - Universidade Federal de Santa Maria, também formado em MTC - Medicina Tradicional Chinesa - drclaudiorhein@yahoo.com.br 







Querendo, leia também:




Outras publicações do Dr. Claudio Rhein neste blog:

Problemas de desatenção, esquecimento, até mesmo o Alzheimer não é um mal neurológico ou psiquiátrico, mas o efeito da pobreza da energia do rim, por alimentação inapropriada. 

Enquanto a CAUSA não for referência na elaboração de um tratamento, não estaremos diante de uma terapêutica séria.

Por Dr. Claudio Rhein



Feliz ninguém fica doente, diz Claudio Rhein, especialista em medicina chinesa
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2017/06/feliz-ninguem-fica-doente-diz-claudio.html
Vacinas - Ponderações oportunas - Dr. Claudio Rhein
No RS, pais estão sendo atormentados, inclusive, com a ameaça de perda da guarda do(a) filho(a) caso se negarem a vaciná-los. 
No total, 54,4 milhões de pessoas devem ser vacinadas no país. Já trocaram os conservantes ethylmercury e alumínio?????






Tipos de açúcar para ir substituindo em sua dieta

Um dos grandes desafios dos profissionais da área médica  é conscientizar as pessoas contra o uso excessivo de açúcares adicionado a bebidas e produtos industrializados. Claro, depois que eles próprios tiverem esta conscientização.

Marise Jalowitzki
18.abril.2019
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/04/tipos-de-acucar-para-ir-substituindo-em.html

Cada vez mais e mais notícias sobre os efeitos negativos do consumo de açúcar estão sendo divulgadas. E sabemos o quão difícil é substituir, ou até mesmo extinguir (isto seria o ideal) o uso de açúcares em nossa alimentação. Por isso, é ultra importante que se saiba quais os substitutos menos nocivos ao uso e consumo do açúcar refinado.

Crianças e idosos são particularmente MUITO suscetíveis ao açúcar, mas todos se prejudicam. Desde nervosismo, ansiedade, até doenças bem mais sérias, pois ataca o fígado.

Açúcar é necessário para a saúde do organismo, pois, dentre outros benefícios, produz energia. MAS NÃO É DO AÇÚCAR COMPRADO, ou aquele contido nos produtos industrializados que estamos falando. É do açúcar natural, contido nos alimentos naturais, tipo frutas. Vamos ver como é isso.


Falando do açúcar produzido a partir da cana de açúcar
Em graduação de nocividade, o primeiríssimo é o


refinado é quase um pó, só superado pelo açúcar confeiteiro
 - açúcar refinado - quanto mais branco e fininho, pior, já que 'para se tornar branco, o açúcar refinado passa por processos químicos onde são acrescentados aditivos que pertencem a grupos sintéticos muitas vezes cancerígenos e sempre danosos à saúde. Se consumido regularmente, aumenta a probabilidade de diabetes, obesidade, alterações intestinais, candidíase e até câncer. É descalcificante, retira o cálcio dos ossos, deixando-os mais frágeis, além de estimular ainda mais o gosto e a vontade por doces, pois altera o sabor dos alimentos'.


açúcar cristal 

 - açúcar cristal - a cor é igualmente branca, só os grânulos são um pouquinho maiores. É também feito a partir da cana de açúcar e também muito processado. Geralmente há dois tipos, um cristal mais fininho e outro com grânulos maiores, dependendo do fabricante. Para quem está neste estágio [consumindo este tipo de açúcar até eliminá-lo de sua dieta], pelo menos compre o orgânico. Se não se livra dos malefícios do açúcar e dos aditivos, pelo menos não ingere toda a carga de agrotóxicos contidos na cana.








demerara


- açúcar demerara orgânico - já começa a ser mais marronzinho, da cor original da cana, e em grânulos maiores. Dissolve bem e precisa bem menor quantidade que os anteriores, pois é mais doce.








mascavo




 - açúcar mascavo orgânico - de todos, o mais natural. É uma questão de habituar o paladar, pois tem o gostinho do melado (outro produto da cana de açúcar). No suco de maracujá, por exemplo, deixa o gosto do maracujá ainda melhor e nem precisa tanto açúcar.







Todos os açúcares trazem prejuízos à saúde, não existe um que cause menos risco. O que determina é o estado do corpo (mais ou menos debilitado, a idade, etc.) e o nível de consumo. Facilmente encontramos crianças ansiosas, inquietas, nervosas. Pode ser o açúcar.



açúcar de coco





Também há o açúcar de coco e os adoçantes sintéticos (edulcorantes). Tudo processado e alterado.

O açúcar de coco é pouco doce. Serve apenas pra "dar um gostinho" açucarado, mas não é isento de riscos.











Stevia





Stevia é um alternativo, advindo de uma planta e 100 vezes mais doce que o açúcar da cana (alguns dizem até 300 vezes mais doce).

Também é encontrado em gotas (tipo adoçante). Tem um gostinho diferente, mas é questão de hábito (não tem os perigos alardeados ao aspartame).






Por que os açúcares [ainda consumidos] originados da cana devem ser orgânicos? 

A nossa cana de açúcar é produzida em grandes canaviais, onde o uso de pesticidas assumem níveis alarmantes, já que a produção é estimulada ao máximo, especialmente para gerar etanol (combustível). Assim, deve-se garantir que a cana de açúcar dos açúcares que [ainda] consumimos seja de fonte natural, ecológica, livre de agrotóxicos. A inscrição "Orgânico" deve vir em destaque na embalagem, com certificação. Devendo, por igual, ser utilizado com parcimônia, sempre com o intuito de ir diminuindo ao máximo o consumo.


Alimentos que se transformam em glicose

A glicose, em níveis moderados, equilibrados, é essencial para a saúde do corpo. Muitos alimentos, mas muitos mesmo, ao serem ingeridos, se transformam em glicose, o que deixa um excesso altamente prejudicial, gerando doenças diversas. Claro que ao comprar produtos industrializados tais como pães, bolos, massas para bolos, etc., sorvetes, todos os chocolates (em barra, em formato de ovos, em creme), bolachas, biscoitos, o açúcar ali é o refinado (ou o confeiteiro, tão industrializado e aditivado quanto aquele), o sal refinado, leite e ovos, etc.. Todo alimento industrializado deve ser evitado.

Assim, o melhor é consumir o açúcar contido nas frutas. Ao consumir uma fruta, o açúcar (frutose) nela contido será transformado em glicose.
 Entretanto, mesmo quando você comer batatas, por exemplo, o amido será também transformado em glicose, e assim acontece com todos os outros tipos de açúcares. Ou seja, estamos em contato com açúcar de todas as formas. Por isso se estimula o mais possível a feitura da alimentação caseira, onde é possível escolher o que se mistura na confecção dos pratos, estimulando o uso de verduras e legumes, usando sempre bem pouco óleo (evitar frituras), que é outro vilão.

Como diz a endocrinologista Lúcia Henriques
"Glicose é a principal fonte de energia para nosso organismo, presente em maior concentração nos cereais (trigo, aveia, centeio e milho) grãos, massas e pão, e em menor concentração nas frutas, verduras, legumes e mel. Ela possui um grau de doçura inferior à sacarose e superior à lactose, além de ser uma forma de armazenamento dos açúcares, pois todos eles circulam no sangue na forma de glicose, por isso ela é conhecida como açúcar do sangue.

Cada alimento possui um índice glicêmico (IG). O IG é um fator que indica a velocidade, após a ingestão, que um alimento se transforma em glicose e alcança a corrente sanguínea. Ou seja, quanto menor a velocidade de transformação em glicose, mais lenta e gradual será sua liberação para a corrente sanguínea, e isso é bom (TRUCOM, 2012)."

Um dos grandes desafios dos profissionais da área médica é conscientizar as pessoas, para que, pelo menos, passem a consumir bem menos açúcar, e também para os açúcares adicionados a bebidas e produtos industrializados. 

O ideal é evitar adoçar os alimentos. Tudo que acaba ficando em excesso em nosso organismo, traz sérios prejuízos.  E o açúcar, infelizmente, está em quase tudo. Resta reeducar nossos hábitos alimentares. 

Em meu cotidiano, uso muito a banana (grelhada ou aquecida), a manga e a maçã (igualmente grelhada ou aquecida) para dar sabor a diversos pratos. O calor realça o sabor adocicado.

À noite, quando dá "aquela fominha", sempre antes das 23h (depois, jejum total), ou grelho fatias de uma maçã sobre um meio pão árabe de linho ou como melancia (nunca gelada).

Um meio limão com água morna pela manhã em jejum. 4 colheres de vinagre de maçã orgânico, misturado em água morna (esta porção pode ser ingerida aos poucos, em diferentes horários durante o dia, antes ou depois das principais refeições), orientações recebidas do Dr. Claudio Rhein, médico alopata e da MTC - Medicina Tradicional Chinesa (Caxias do Sul - RS).

Dele, há também este artigo, publicado neste blog:

Açúcar refinado, chocolate e câncer 




"Não existe nada mais acidificante que o açúcar refinado, sendo o combustivel preferencial da célula cancerosa."


Serviram de fontes:
Indicações diversas e do Dr. Claudio Rhein

https://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2018/07/especialistas-avaliam-os-diversos-tipos-de-acucar.html

Para quem quer se aprofundar no tema, sobre frutose, sacarose, maltose, etc., leia aqui: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/nutricao/a-classificacao-dos-acucares/60146


 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 



terça-feira, 2 de abril de 2019

Meninas em abrigos tem implantado no útero dispositivo contraceptivo - da Bayer - que foi reprovado pelo SUS!! Olha a gravidade disto!

Com urgência, a decisão liminar determinou que o Termo de Cooperação fosse suspenso. Todas as partes do processo foram intimadas. 
MAS O MÉRITO DA DECISÃO AINDA DEVERÁ SER JULGADO PELA 6ª TURMA DO TRF-4, AINDA SEM DATA DEFINIDA!!!



Por Marise Jalowitzki
02.abril.2019

Meninas e adolescentes em abrigos são alvos de um contraceptivo não aprovado pelo SUS. Servem de “teste” de um dispositivo contraceptivo da Bayer, medicamento este sem garantia de eficácia. As meninas de 15 a 19 anos simplesmente recebem o contraceptivo, sem que os profissionais da Saúde municipal recebam formação para acompanhamento e posterior retirada do dispositivo.

O “dito ‘Acordo de Cooperação’ foi assinado em junho de 2018 "pelo Ministério Público, o Município de Porto Alegre, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, o Hospital Materno Infantil Presidente Vargas e a Bayer S/A. O Termo de Cooperação teve implementação imediata e ‘selecionou’ 100 inseridas em programa de acolhimento institucional às políticas de saúde da mulher e de planejamento reprodutivo introduzidas pela Lei 13.527/16."(Sul21 
Na prática, as 100 jovens selecionadas pelo Ministério Público, abrigadas  em Porto Alegre-RS, com idade entre 15 e 19 anos, tem implantado no útero o SIU-LNG (Sistema Intra-Uterino) fornecido pela Bayer, sistema intra-uterino que libera, de forma gradual, o hormônio levonorgestrel que impede a gravidez e que pode permanecer no corpo por 2 a 5 (algumas publicações falam em até 07 anos). 

A assinatura ocorreu durante o seminário “Debatendo a Gravidez na Adolescência”, realizado no MP.

Solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação em junho de 2018

Um mês após a assinatura do dito “Acordo”, em julho.2018, portanto, membros do Conselho Municipal da Saúde denunciaram a oferta do SIU. “Anos antes, ele foi reprovado pelo conselho que avalia a entrada de medicamentos no Sistema Único de Saúde, a Conitec - Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia para o SUS.” Em setembro.2018, a Defensoria Pública da União, a Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul e a ONG Themis, protocolaram uma ação civil pública pedindo a suspensão imediata do Termo de Cooperação.  

Demorou 7 meses pra uma nova manifestação judicial: nesta semana, o juiz convocado Artur César de Souza, do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) julgou o processo e determinou, com urgência, que o Termo fosse suspenso, declarando  a inconstitucionalidade e ilegalidade do Termo de Cooperação.

 (...) o Termo viola os direitos fundamentais das mulheres e a necessidade de uma política pública integral de promoção da saúde sexual; sendo reconhecido pelo juiz como uma forma de fazer com que a meninas abrigadas sirvam “para testar o método, em prestígio dos interesses da indústria farmacêutica”. Segundo a decisão, isso também acarreta discriminação e preconceito de gênero social, uma vez que “com a justificativa de proteger as adolescentes acolhidas da situação de gravidez precoce, as instituições que firmaram o termo pretendem submetê-las ao procedimento de inserção do SIU, desconsiderando não haver provas da superioridade desse método, como tampouco de sua adequação para adolescentes”.

Assim, o juiz encaminha sua sentença afirmando que, para além dos motivos já apresentados, apesar de a Bayer fornecer o dispositivo, todo o trabalho de inserção, acompanhamento e retirada ficaria à cargo do Município. Além de custos financeiros, a empresa farmacêutica não poderia ser responsabilizada por qualquer problema envolvendo a colocação.
Com urgência, a decisão liminar determinou que o Termo de Cooperação fosse suspenso. Todas as partes do processo foram intimadas.“ 
MAS O MÉRITO DA DECISÃO AINDA DEVERÁ SER JULGADO PELA 6ª TURMA DO TRF-4, AINDA SEM DATA DEFINIDA!!!
Projeto criticado
A iniciativa foi criticada por grupos formados pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS), pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren-RS), pelo Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS) e por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

No dia 18 de julho, eles lançaram um abaixo-assinado pedindo a suspensão do Termo de Cooperação, argumentando motivos “éticos, técnicos e econômicos”.

A alegação é de que o método foi rejeitado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em 2016. O estudo da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia para o SUS (Conitec) decidiu pela “não incorporação do sistema intrauterino liberador de levonorgestrel 52 mg para anticoncepção em mulheres de 15 a 19 anos de idade”.

O relatório considera que “as evidências científicas apresentadas não foram suficientes para comprovar superioridade da tecnologia proposta comparada às tecnologias disponibilizadas no SUS”.

Segundo a médica e professora de Saúde Coletiva da UFRGS Maria Gabriela Godoy, “não há garantia de onde vai ser feita a retirada do implante quando as adolescentes deixarem os abrigos, já que o período do SIU é de cinco a sete anos. Também é preciso dizer que não há estudos que avaliem o impacto na saúde de meninas que usem implante de um método hormonal de uso contínuo", diz.

De acordo com o Conselho Municipal de Saúde, o termo não foi apreciado pelo CMS como previsto em lei. Para o Coren-RS, a indicação das meninas pelo MP e não pelas equipes de atenção à saúde contraria as orientações do Ministério da Saúde.

(...) O Ministério Público reconhece que não houve intermédio da Secretaria de Saúde ou do SUS no contato inicial com a Bayer, mas que diversos especialistas foram consultados e reconheceram a qualidade do contraceptivo SIU...

Então é assim: SUS não libera, a farmacêutica Bayer procura algumas parcerias e, ao invés de intensos programas de conscientização e alternativas contraceptivas, usa-se sem preparo um dispositivo “novo”. Como assim? Se as garotas não tomam as pílulas com regularidade, que recebam mais e ais orientações sobre o uso da camisinha (elas e-ou seus parceiros), pílula do dia seguinte, diu de cobre, mas não um dispositivo sem aprovação, que vai liberando hormônio gradativamente!
 Quais as conseqüências disto??
"É importante frisar que o contraceptivo não pode ser reconhecido como um ‘presente’."

Em agosto do ano passado a menor C.B.S., ora com 15 anos de idade (em abrigos desde os 9 anos), recebendo tratamento psiquiátrico após tentativa de suicídio dentro da Fundação de Acolhimento Sócio-Educativa (FASE) teve, por decisão de sua psiquiatra, a hospitalização em ala psiquiátrica e a prescrição para receber o dispositivo contraceptivo, em “caráter de urgência”!! Por quê? Em que se baseia a “avaliação clínica” a que são submetidas as garotas “selecionadas”? (Ver mais: item 9, pág 23, https://apublica.org/wp-content/uploads/2019/03/inicial-acp-termo-de-cooperacao-siu.pdf )

Mais considerações:

O Acordo prevê a avaliação, a inserção do dispositivo contraceptivo e uma reconsulta em 45 dias para ver se tudo ok.) Quem acompanha depois? Quem está preparado para o acompanhamento anual (recomendado na bula) e, depois do prazo de validade findo, a retirada do dispositivo, levando-se em conta que o SUS não aprovou seu uso (e, portanto, não tem pessoal especializado para tal) e as meninas já não estarão mais nos abrigos?
 Saliente-se:
“O setor farmacêutico (Health Technology), segundo a Forbes, é o mais lucrativo de todos, com 21,6% de margem média de lucro (à frente até das empressas de tecnologia e de bancos, com 17,2% e 17,1%, respectivamente) (pág.18 – https://apublica.org/wp-content/uploads/2019/03/inicial-acp-termo-de-cooperacao-siu.pdf

Ajudem a divulgar pra que haja pressão popular e a 6ª Turma julgue logo esta ação!!
Como diz o Defensor Público Rodolfo Lorea Malhão : “É importante frisar que o contraceptivo não pode ser reconhecido como um ‘presente’. São meninas pobres, em situação de vulnerabilidade sim. Mas não é por falta de recursos que elas têm que se submeter a algo que não precisam. Não é uma questão de dinheiro. É a objetificação da pobreza”, afirma.
Serviram de fonte:
1)      Ação da Defensoria Pública contra o Ministério Público pede suspensão do Acordo de Cooperação - https://apublica.org/wp-content/uploads/2019/03/inicial-acp-termo-de-cooperacao-siu.pdf - protocolização de uma ação civil pública
Manifestaram-se contrários: Conselho Estadual da Criança e do Adolescente – CEDICA; Conselho Estadual de Assistência Social – CEAS; Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre – CMS/POA; Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Rio Grande do Sul – SINDIFARS; Sindicato dos Municipários de Porto Alegre – SIMPA/RS; União Brasileira de Mulheres – UBM/RS; Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB/RS; Coletivo OCUPASUS-RS; Conselho Regional de Serviço Social – CRESS: Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Sul – CRP/RS; Conselho Regional de Enfermagem – COREN; Professoras e Professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.
4)     Preço do dispositivo: https://consultaremedios.com.br/mirena/p#bula


Querendo, leia: Meninas da FASE -  https://medium.com/@fernandalacruz/meninas-da-fase-as-oportunidades-e-a-ressocializa%C3%A7%C3%A3o-a-senten%C3%A7a-da-infra%C3%A7%C3%A3o-6af289d96f9b



quarta-feira, 20 de março de 2019

Ameaça de Atentado na UFRGS, Campus do Vale, em Porto Alegre - Universidade em alerta

Um dos usuários do mesmo fórum em que foi planejado o Ataque em Suzano, anuncia que fará até o final do mês no Rio Grande do Sul o maior ataque que o Brasil já presenciou



A Universidade Federal do Rio Grande do Sul está tomando todas as providências possíveis. Nas trocas de mensagens, há a sugestão que seja no Campus do Vale, que fica na divisa de Porto Alegre com Viamão, em área bem ampla. Alvo principal são mulheres e negros, dizem as mensagens. Senhor, Misericórdia! Que momento mais denso que estamos vivendo!! Paz!!!!!!!!!!!!!!!

20.março.2019
https://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/03/ameaca-de-atentado-na-ufrgs-campus-do.html

transcrito de Sul21:
UFRGS entra em alerta após ameaça de atentado

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) entrou em estado de alerta após tomar conhecimento de ameaças de que um ataque aos moldes do que ocorreu em uma escola de Suzano (SP) possa ocorrer na instituição. A Reitoria confirmou nesta quarta-feira (20), por meio de nota, que acionou autoridades federais e estaduais preventivamente como medida para garantir as aulas possam continuar ocorrendo com segurança.


 “A Universidade Federal Rio Grande do Sul, assim como algumas outras universidades brasileiras, recebeu informações de ameaça de atentado no Campus do Vale, semelhante ao ocorrido em Suzano, SP. Diante disso, a Universidade acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna. A UFRGS tomou essas medidas a fim de proporcionar a manutenção de todas atividades no local com segurança e tranquilidade”, diz nota oficial da Reitoria da UFRGS.
A reportagem entrou em contato com a Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, que confirmou que foi acionada pela UFRGS. “A Polícia Federal recebeu a notícia por parte da UFRGS e está dando o devido tratamento à informação”, diz a PF em nota.
Dez pessoas morreram em um tiroteio na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na última quarta-feira (13). O ataque, realizado por dois ex-alunos do colégio, de 17 e 25 anos, foi planejado em um fórum de anônimos na internet. Um terceiro envolvido no planejamento do ataque, de 17 anos, foi preso nesta terça-feira (19).
Circulam entre grupos de alunos e professores reproduções de postagens, do mesmo fórum em que foi planejado o ataque de Suzano, em que um dos usuários — todos as postagens neste fórum são anônimas — anuncia que fará até o final do mês no Rio Grande do Sul o maior ataque que o Brasil já presenciou. Nas respostas, os demais usuários sugerem que o ataque seja realizado no Campus do Vale, da UFRGS, localizado na divisa de Porto Alegre com Viamão. O alvo principal das postagens são mulheres e negros.
O assunto foi discutido em reunião realizada na terça-feira (19) entre o reitor Rui Vicente Oppermann e diretores de unidades da universidade. Os representantes da universidade estão preocupados em não criar pânico a respeito das ameaças, mas acreditam que é preciso tomar precauções, especialmente porque ataques como o que ocorreu em Suzano podem ocorrer a qualquer hora e em qualquer lugar.
O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRGS postou nesta quarta-feira nas redes sociais uma nota intitulada “Quero estudar sem medo — contra a disseminação do ódio e do preconceito”. “Hoje, fomos surpreendidos com uma informação, ainda sem confirmação, de uma ameaça contra mulheres e negros na UFRGS, no Campus do Vale. Estamos em contato com a reitoria da UFRGS e autoridades responsáveis a fim de cobrar o reforço da segurança em todos campi da UFRGS, bem como de confirmar a informação dessa ameaça. Mesmo que seja apenas uma postagem, sem nenhuma conexão com a realidade, exigimos a investigação e que sejam responsabilizados os responsáveis. Antes de tudo, exigimos a segurança de toda comunidade acadêmica da Universidade, queremos estudar e trabalhar sem medo”, diz a nota.
Uma festa de estudantes prevista para esta quarta-feira no Campus do Vale foi cancelada.
https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/geral/2019/03/ufrgs-entra-em-alerta-apos-ameaca-de-atentado/

Ver mais sobre ataques:

Massacre em Suzano - O que uma sociedade doente pode fazer por seus filhos?




Por Marise Jalowitzki
13.março.2019
https://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/03/massacre-em-suzano-o-que-uma-sociedade.html



Massacre em Suzano - Analista de sistemas é o mentor do ataque na Escola
Brasil precisa URGENTEMENTE aumentar a vigilância na internet! (No centro da imagem Marcelo Valle Silveira Mello - criador do site Dogolachan)


14.março.2019
https://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/03/massacre-em-suzano-analista-de-sistemas.html



Professor de violino da Escola de Música do DF é contido e levado a atendimento psiquiátrico após ser detectado em sua mochila uma besta, duas facas e cinco setas

"Era pra eu me matar!", disse ele ao ser contido. "Nossa sociedade está doente!", disse o Secretário da Educação, alvo do professor, que não teve seu nome divulgado (está afastado e em tratamento psiquiátrico)



Por Marise Jalowitzki 15.março.2019
https://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/03/sociedade-doente-professor-de-violino.html 


É possível atrair os filhos para atividades offline? Convites para programas 'mornos' não cativam os adolescentes - Jovens costumam desafiar o perigo, querem a adrenalina. O que precisa acontecer?

Besta é uma arma de caça medieval, aparece em vários jogos virtuais de luta, arma que pode ser letal, usada tanto pelo estudante de 17 anos no massacre na escola em Suzano-SP, como a encontrada na mochila do professor de violino, no DF, dois dias após o massacre.

Por Marise Jalowitzki
16.março.2019
https://compromissoconsciente.blogspot.com/2019/03/convites-para-programas-mornos-nao.html


 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com