quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Como acontece a decomposição do corpo humano - Necrochorume -Saúde Pública - Contaminação das Águas - Tragédias: Soterramentos por deslizamentos de terra - Parte 5/10


Região serrana do Rio, onde mais de mil corpos foram enterrados em covas rasas e 500 permanecem soterrados

Como acontece a decomposição do corpo humano -  Necrochorume
– Saúde Pública - Contaminação das Águas – Tragédias: Soterramentos por deslizamentos de terra -
Parte 5/10


Por Marise Jalowitzki
16.fevereiro.2011
http://ning.it/ov5cPW

Cada corpo, dependendo da idade, das doenças que teve, do tipo de morte e do tipo de solo em que é enterrado, apresenta tempo variado de decomposição.

Por isso, publico o fruto desta pesquisa, para compreendermos um pouco melhor sobre o perigo a que estamos sujeitos quando a água que bebemos e o solo que nos dá o alimento estão contaminados.
O tema deste 5º artigo traz informações sobre:

Como acontece a decomposição do corpo humano

Apenas algumas horas após a morte, o corpo começa a exalar odores fétidos. No primeiro mês o corpo em decomposição produz aproximadamente 24 litros de gases.

 Segundo os tanatólogos (estudiosos da morte), os gases resultantes da putrefação dos cadáveres são:
- o gás sulfídrico,
- os mercaptanos,
- o dióxido de carbono,
- o metano,
- o amoníaco
- e a fosfina (luz amarelada, fosforescente que alguns atribuem a agentes "divinos").

Os dois primeiros são os responsáveis pelos maus odores. O vazamento destes gases para a atmosfera de forma intensa deve-se à má confecção e manutenção das sepulturas (covas simples) e dos jazigos (construções de alvenaria ou concreto, enterradas ou semi-enterradas).

A decomposição ou putrefação (apodrecimento) de um corpo compreende várias fases. Vamos nos deter, neste estudo, na decomposição que produz o necrochorume.

A chamada fase humorosa (ou coliquativa) - que é a dissolução pútrida das partes moles do corpo - é a mais preocupante em termos ambientais.

Se você já passou pela perda de algum ente querido, sabe que há a condição de adquirir um jazigo perpétuo ou alugar um espaço por, no mínimo, três anos. Três anos é o tempo estabelecido por lei para que um corpo tenha as chamadas partes moles apodrecidas, restando apenas os ossos, dentes, cabelos e unhas. Este tempo pode variar, dependendo da idade do morto, as doenças que teve (incluindo a causa-mortis), o tipo de remédios que tomou, as drogas que ingeriu, o tipo de sepultamento que teve (com pastilhas, mantas absorvente, tipo de urna e jazigo) e, também, o tipo de solo em que aconteceu o sepultamento.

Durante os primeiros 06 meses, cada cadáver produz em média 30 a 40 litros de necrochorume, sendo que o processo completo pode chegar a 5 anos em condições normais.  



Composição do Necrochorume

Vamos tomar como exemplo um corpo humano de um adulto de 70 kg.
Ele contém aproximadamente:
16000 g de carbono,
1800 g de nitrogênio,
110 g de cálcio,
500 g de fósforo,
140 g de enxofre,
140 g de potássio,
100 g de sódio,
95 g de cloreto,
19 g de magnésio,
4,2 g de ferro
e média de 60% do peso de água.

Resumindo:
São 60% de água, 30% de sais minerais e 10% de substâncias orgânicas degradáveis.

Nestes 10% está a carga patogênica (doenças) de substâncias biodegradáveis. As que mais se destacam são: a cadaverina e putrescina. São consideradas venenos potentes, que não dispõem de antídotos eficientes.  

A cadaverina e a putrescina  são extremamente solúveis em água (pH entre 5 e 9, à temperatura de 23 a 28ºC) e se entram em contato com o lençol freático formam uma pluma de poluição, contaminando-o.  


necrochorume - líquido viscoso e poluente



Como já explicado nas matérias anteriores, o necrochorume é um líquido viscoso, de cor acinzentada a acastanhada, cheiro acre e fétido, polimerizável (tendência a endurecer), rico em sais minerais e substâncias orgânicas degradáveis, incluindo a cadaverina e a putrescina, duas aminas tóxicas.

Os especialistas são unânimes em afirmar que o perigo de contaminação do necrochorume deve-se aos microorganismos patogênicos e aos seus riscos infecciosos.

Pela ação das águas superficiais e das chuvas infiltradas nas sepulturas ou pelo contato dos corpos com as águas subterrâneas (aquífero freático).

Se as mesmas fluírem para a área externa do cemitério e forem captadas através de poços escavados por populações que vivem no entorno, estas poderão correr sérios riscos de saúde.


A saponificação
A saponificação (fenômeno conservador), também conhecida por adipocera (gordura de aspecto céreo), ocorre quando o corpo é sepultado em ambiente úmido, pantanoso.

O solo argiloso, poroso, impermeável ou pouco permeável, quando saturado de água, facilita a saponificação. Logo, este solo não é recomendável para sepultamentos.

Em geral, a formação da adipocera leva cinco a seis meses após a morte. O fenômeno é comum nos cemitérios brasileiros, tendo como causa a invasão das sepulturas por águas superficiais e subterrâneas. Enquanto persistir a causa, o corpo ficará saponificado.

A saponificação ou adipocera caracteriza-se pela hidrólise da gordura, com a liberação de ácidos graxos (triglicerídios), presentes no tecido adiposo, que têm acidez e se unem a minerais do organismo, tais como, cálcio e magnésio, formam sabão e inibem a ação de bactérias putrefativas, com o consequente retardamento da decomposição do cadáver.

O cadáver fica intacto e adquire consistência untuosa e mole, tonalidade amarelo-escura, odor de queijo rançoso e aspecto de cera ou sabão. Isso, em casos de homicídios ou onde há dúvida sobre a causa-mortis, auxilia em muito as investigações.

A igreja católica tem vários relatos que podem ser atribuídos ao fenômeno denominado "Corpos Incorruptos",  processo de saponificação e interferências de terceiros, como o embalsamento, etc.


Católicos não descartam a possibilidade de que alguns casos podem ser atribuídos ao processo de saponificação.

Pode ocorrer em ambientes quentes, úmidos e anaeróbios, com a presença de bactérias endógenas, e em solos argilosos por sua impermeabilidade e retenção de água, aumentando a vida e a proliferanção das bactérias.



Solos quentes e úmidos
Como na Região Serrana do Rio.
Como no Haiti.

------------
Em uma série de 10 tópicos, agrupei os temas mais relevantes, assim distribuídos:  

Parte 1 – Seremos adubo algum dia? Vamos cuidar das águas!  – Introdução -
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/seremos-adubo-algum-dia-vamos-cuidar.html
Parte 2 - O corpo humano e a liberação do necrochorume
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/o-corpo-humano-e-liberacao-do.html
Parte 3 – O que diz a Legislação sobre o tratamento de cadáveres
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/o-que-diz-legislacao-sobre-o-tratamento.html
Parte 4 – Outras alternativas para tratar o necrochorume

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/necrochorume-corre-ceu-aberto-em-alguns.html
Parte 5 – Como acontece a decomposição do corpo humano

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/como-acontece-decomposicao-do-corpo.html
Parte 6 - Como a qualidade do solo influencia no tempo de decomposição do corpo humano

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/como-qualidade-do-solo-influencia-no.html
Parte 7 - Como acontece o processo de contaminação do solo e de fontes d’água pelo necrochorume

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/como-acontece-o-processo-de.html
Parte 8 - O que dizem os pesquisadores sobre as consequências do necrochorume

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/o-que-dizem-os-pesquisadores-saude.html
Parte 9 – Impactos ambientais devido à liberação do necrochorume

http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/impactos-ambientais-contaminacao-das.html
Parte 10 - Doenças que podem ser contraídas pela população, devido ao sepultamento inadequado de cadáveres
Marise Jalowitzki
Escritora
Porto Alegre - RS - Brasil

Água limpa vem por solo limpo.
Água limpa é saúde!




Muitas vezes, até por desconhecimento, cemitérios são edificados em regiões altas,
longe da comunidade, como forma de afastar os odores fétidos.
O perigo maior jaz no subsolo, pela possibilidade de contaminação das águas.
 -----
Leia também: http://t.co/uYsGSWt 


Só sirenes?  falta tudo! Necrochorume à mostra após a tragédia na região serrana do Rio

As fotos divulgadas nesta página foram enviadas por Cecília Valéria Oliveira da Silva, voluntária em Teresópolis, na tragédia do Rio - 2011


Por Marise Jalowitzki e Cecília Valéria Oliveira da Silva
14.julho.2011

----------
E também LINK: http://ning.it/oITt8s

Será que, mesmo com os resultados da CPI, turistas vão vir para a Copa para conhecer a Cidade Maravilhosa?

 
CPI na Região Serrana do Rio aponta o óbvio: Omissão, ineficiência e interesse eleitoreiro 

23.agosto.2011
LINK: http://ning.it/oITt8s
----



Leia também:

Defesa Civil - Moradores de 5 Estados
 tem Treinamento contra desastres -
Foto: Santa Maria - RS - Barragem do DNOS


Defesa Civil e o 1º Simulado de Preparação para Desastres - 

QUAL O CRITÉRIO PARA ESCOLHA DAS LOCALIDADES?

Por Marise Jalowitzki 
04.novembro.2011
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/11/defesa-civil-e-o-1-simulado-de.html


E também:


"Ou o agente público não fez a obra ou a obra foi feita e o dinheiro mal empregado. Agora esse agente precisa responder por isso na Justiça", afirma o promotor Mauricio Antonio Ribeiro Lopes



Ministério Público quer Ficha Suja para Governante que não evitar enchente 

Por Marise Jalowitzki
08.novembro.2011
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/11/ministerio-publico-quer-ficha-suja-para.html

---------

Você sabe de onde vem a água que você bebe? Tratamento do Necrochorume, uma responsabilidade dos governos


Tratamento do Necrochorume - Pastilhas e Mantas Absorventes - Preservação do Solo e Águas


Por Marise Jalowitzki
14.novembro.2011
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/11/tratamento-do-necrochorume-pastilhas-e.html

--------

20 comentários:

  1. Socorro o deputado Sabino vice presidente da CPI da região serrana do Rio responde processo com o n/000.3718-83.2006.8.19.00.68 envolvido Valério da silva Medeiro na comarca de Rio das Ostras por improbidade administrativa no peri udo que o deputado era prefeito em Rio das Ostras de 2000a2004 e tenho vários documentos que ligam o deputado Sabino com terrapleno construtora envolvida com o escândalo .É por-isso que a CPI acabo em pizza!!!!!! entre em contato que enviarei os documento vamos fase justiça

    ResponderExcluir
  2. Sugiro que encaminhe as informações para Jornal Folha de São Paulo! Denúncias que eles podem apurar!Abs

    ResponderExcluir
  3. EU NUNCA ME IMAGINE QUE DEPOIS DE MORTOS AINDA CONTAMINEMOS NOSSO PLANETAAA!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é terrível, isso, Karina? Eu também nunca havia pensado nisso! Até achei que poderíamos ajudar!!!... Sina!!!

      Excluir
  4. Mas isso não é um proceso normal que também ocorre com outros animais? então não temos motivo de nos achar inferiores, o que deve ser feito é dar destino correto aos seres em decomposição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edilly! Grata pela contribuição. Creio, porém, que não leste todos os artigos (são vários e, alguns, longos, reconheço), mas a coisa não é tão simples assim. Quem dera, fosse.

      Humanos decompõem mais tóxicos, porque:
      - ao fazer os exames de prevenção às doenças - os esporádicos e os periódicos -, ao longo de toda a vida, armazenam os resíduos dos raios x e outros no corpo (nas gorduras e sangue), tóxicos que por vezes demoram até centenas ou milhares de anos (dependendo da radioatividade, etc.)para se decompor, contaminando água,ar e solo.

      - As placas de platina, todos os metais que colocamos no corpo, sejam placas devido a acidentes ou doenças degenerativas, sejam restaurações dentárias, próteses, etc., tudo são matérias que demoram a se decompor, poluem e alteram o ecossistema.

      - a alimentação que ingerimos, especialmente a industrializada, está plena de contaminantes de todos os tipos, desde os agrotóxicos que foram lançados no solo e que fazem parte dos alimentos que ingerimos, até os conservantes, contaminantes, espessantes, corantes que muitos fabricantes colocam BEM MAIS DA CONTA, como temos denunciado aqui no blog, também, recebendo, inclusive, multa (mas não proibição, o que é uma falha) dos órgãos responsáveis, especialmente a ANVISA. Quantas cervejas um cidadão comum ingere na vida? Batatas fritas e outros salgadinhos?...

      - a água "potável" que consumimos, quando vai ser examinada pelos órgãos responsáveis, recebe uma medição sobre o MÁXIMO DE POLUENTES que consegue conter, ou seja, o MÁXIMO que o ser humano pode abarcar sem consequências graves imediatas. Poluentes tóxicos que ingerimos e que, como disse acima, se concentram nas gorduras e sangue. Eles não são são eliminados.
      (continua)

      Excluir
  5. (continuação)

    antibióticos, tarja preta é só ler a bula e-ou pesquisar sobre os componentes. Até mesmo o cálcio, tão necessário para a manutenção de nosso sistema ósseo, contem índices de chumbo, que é tão prejudicial. (Por isso tantas pessoas vão em busca da dolomita, uma pedra ralada que, sim, também contem chumbo, mas em índices bem abaixo do que as cápsulas convencionais comercializadas nas farmácias de manipulação e alopáticas em geral.)
    - humanos são enterrados em caixões funerários ( a não ser na cremação), que contem alças e enfeites de metal que, igualmente, poluem e demoram para se decompor.

    Com todo este cenário, creio ter ficado evidente que somos, sim, poluidores em potencial.
    Claro que os animais que domesticamos para abate e que levam sua vida apenas para servir de corte e alimento dos humanos, também recebem uma carga pesada de contaminantes; eles também recebem vacinas, medicamentos, água e ração plena de resíduos tóxicos. Só que eles, após serem assassinados, tem sua carne comprada e consumida por quem¿ Os humanos, que armazenam dentro de seus corpos também os venenos. E, ao contrário de nós, eles não tem seus ossos sepultados. Os ossos dos animais de corte são triturados e misturados novamente aos alimentos que compramos, principalmente as farinhas e açúcares, as massas de bolo,doces, macarrão, etc.

    Os raros animais “in natura” que ainda podem viver livres a sua vida, em pouquíssimos recantos deste planeta, esses sim, podem morrer e se reintegrar à nossa Mãe Terra, como também o faziam os antigos indígenas, em processo inclusivo e natural.

    Triste quadro¿ Com certeza que sim!
    Podemos desanimar¿ Claro que não! Seria muito fácil simplesmente pender a cabeça e deixar o caos tomar conta. Temos a OBRIGAÇÃO, o DEVER de continuar envidando esforços para que o destino correto seja dados aos restos mortais de todos os seres humanos, urgentemente.

    ResponderExcluir
  6. Algumas culturas e religião são adeptos a anterrar o corpo e não abrem mão disso.
    O que tu aconselhas?

    Dan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dan, acredito que se deva sempre respeitar as culturas, até que a migração de conceitos e crenças aconteça sem traumas (conscientização).
      Assim, para o enterro não incorrer em carga tóxica, no artigo 4 desta série coloco algumas alternativas. A que parece ser a mais eficiente é o uso concomitante de manta absorvente (envolver o corpo, dentro do caixão) e colocar junto as pastilhas, que multiplicam enzimas que se alimentam do necrochorume). Abs

      Excluir
  7. Aconselho a cremação dos corpos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também esta é minha visão e decisão pessoal. Entretanto, há que se realizar toda uma preparação cultural na população, para que aceite este método [tão mais saudável]. Imagine-se na situação desse soterramento massivo, se os corpos fossem todos cremados. Haveria uma grita geral, pois feriria profundamente as crenças. Por isso, a decisão pessoal e individual.

      Excluir
  8. Isso quer nos mostrar que não somos nada,e tem tanta gente
    que se acham superiores as outras pessoas,principalmente as
    pessoas que tem um poder aquisitivo privilegiado,as madames,
    as patricinhas,os mauricinhos e etc...
    Essa gente não gosta de negros,pobres e pessoas que não são
    belas,um dia todos nós vamos virar carniça e comida de vermes
    nojentos.depois de 24 horas se abrir o caixão,ninguém suporta
    o mau cheiro.gente...vamos amar nossos irmãos,pois nessa vida
    não somos nada,pensem nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCORDO TOTALMENTE com TUDO que dizes, "Anônimo"! Infelizmente, a maioria das pessoas ainda está longe de entender o que, sabiamente, já percebeste! Felicidades e continue assim!

      Excluir
    2. Concordo em partes com o anônimo pois já encontrei pessoas Ricas financeiramente, mas humildes de coracao e outras pessoas Pobres financeiramente, mas muito orgulhosas, sempre reclamando da vida e invejando os bens alheios. Já encontrei pessoas Ricas que praticam caridade e Pobres que jogaram ao chao comida recebida. Ser humano meus caros é assim mesmo: uma caixa de surpresas, o fato que ninguém poderá discordar é que todos iremos para o pó da terra, sejamos gordos, magros, lindos, feios, ricos e pobres. Ali seremos finalmente todos iguais... abracos

      Excluir
  9. Não deve concordar totalmente com ele, Sou de uma Fámilia Rica de Curitiba, nem todos as pessoas com poder aquisitivo maior, São racistas e nem se acham melhores que todo mundo, você deveria se envergonhar, isso que estão falando é preconceito! Podem Ser Processados e seu Blog pode ser retirado! Gostei Muito das suas respostas Marise Jalowitzki, mais Você não devia ter concordado com esse Anônimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida ou querido anônimo, nao se envergonhe de sua condicao afortunada, mas tenha sabedoria pois muitos nao estao preparados para aceitar ou suportar o sucesso alheio, viu? Cada um tem na vida o que merece ter, cada um carrega sua cruz, se a sua é de isopor e têm rodinhas, isso é com você e Deus. Oportunidade todos têm, mas alguns acham mais cômodo ficar reclamando de tudo em vez de correr e ir atrás de seus conhos. Abracos

      Excluir
    2. Zandra, você diz muitas coisas importantes, MAS NÃO POSSO CONCORDAR COM VOCÊ quando diz que "Cada um tem na vida o que merece ter". Simples assim? ENTÃO, porque a preocupação básica de melhorar a vida de todos? "Oportunidade todos tem", SERÁ MESMO? Gente, quem nasce em meio à miséria, faltas, carências, desestruturação, TEM AS MESMAS OPORTUNIDADES??? Não! Alguns conseguem sair da teia, a grande maioria perece! NÓS, que temos o conhecimento e a condição de divulgá-lo, temos a OBRIGAÇÃO, o COMPROMISSO de ajudar a todos a refletir melhor sobre TANTAS coisas falhas neste mundão!
      Abs

      Excluir
  10. "Anônimo de 24 de janeiro de 2013". Pois é, enquanto uns colocam seu nome (como no meu caso) e assumem o que dizem, a maioria das pessoas não se identifica e, assim, se "isentam" de assumir o que quer que seja. Com relação a processo e retirada do blog... dá uma olhadinha no texto que te machucou. O "outro anônimo" fala de "tanta gente" e "principalmente", não falou "TODOS OS PRIVILEGIADOS". Em toda regra há exceções.

    QUE BOM se você é uma delas.

    Sei sim,que há famílias riquíssimas - e conheço algumas - com justiça e bom senso. Mas, vamos combinar, que são raras, isso são mesmo!!!

    E a arrogância e a prepotência existem bem mais do que a solidariedade e a ajuda mútua, EM TODAS AS CLASSES SOCIAIS. Isso é preconceito??? Não, isso é um clamor para que as pessoas sejam mais compartilhadoras e menos mesquinhas.

    De qualquer maneira, Muito Grata pela visita ao blog e pelas considerações, que permitiram a ampliação do tópico! Abs

    ResponderExcluir
  11. Alguns acham isso bizarro, mas é o que acontece com o solo desprotegido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E perigoso, Júlia! Como estará a água do Haiti, por exemplo, onde mais de 12 mil morreram em função do terremoto e enchente? E os (catalogados) 18 mil no tsunami do Japão? E os mais de mil no Rio? E todas as valas comuns clandestinas? A verdade é que há muito a fazer para que este planeta Terra possa continuar abrigando uma espécie tão destruidora como a nossa!!! Abs

      Excluir