sábado, 21 de março de 2015

Por que "deficiente" e não apenas "diferente"?


Nunca entendi porque todo nosso mundo é baseado na tentativa de homogeneizar, sendo que, nunca, em qualquer tempo, ninguém é, nem nunca foi, igual a ninguém!




Por Marise Jalowitzki
21.março.2015
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/03/por-que-deficiente-e-nao-apenas.html


Um amigo escreveu:  "voce acha certo colocar uma criança especial no meio dos ditos 'normais'? vai sofrer todo tipo de preconceito e bullying e a criança vai ficar mais traumatizada ainda e pode virar até um assassino no futuro, pensa bem."

O que respondi:
Sei disso e concordo com a necessidade de escolas especiais, haja vista a situação atual de nosso país, com discriminação, com alienação e preconceito. Não há legislação que irá mudar isso!Não será por "obrigação" de uma lei que uma criança será bem tratada! Ela será "aceita", enquanto número de matrícula, terá seu acesso garantido...mas, inclusão é outra coisa! É aceitação das diferenças, é Amor, é Compreensão,

Falando apenas em comportamento: há casos de crianças que são consideradas "deficientes" sendo apenas sapecas (hoje: hiperativas)... ou mais introspectivas e-ou tímidas (hoje: déficit de atenção)... tanta coisa errada!!

Aliás, abomino o termo "deficiente"! Seja nas questões de comportamento, seja nas questões físicas. Deficiente em relação a que? Em relação a quem? A qual "modelo" de perfeição?? A este modelo social falido, que tem como 'referência' pessoas que chantageiam, roubam, fraudam? Esses são os normais, os perfeitos, os que são "escolhidos" para servir de modelo e exemplo??

E, em relação às questões físicas: qual a diferença, por exemplo, entre uma pessoa que anda "normal" e uma que anda "tortinho", ou com muletas, ou em cadeira de rodas. Só porque o maior número de pessoas anda de um jeito, os demais são "deficientes" e precisam ser vistos como "coitadinhos"? Alguém que nasce em nosso meio com alguma "deficiência" veio para que nós, os "normais" exercitemos uma coisa que anda tão, mas tão esquecida: a compaixão (com - paixão), a solidariedade, a ajuda mútua, o auxílio solidário!

É "deficiente" uma pessoa que é surda? Ou ela é diferente, com diferentes maneiras de captar a realidade?
É "deficiente" uma pessoa que é muda? Ou ela é diferente, uma forma diferente de se comunicar, com direito ao aprendizado de Libras, para estabelecer contato com seu próprio linguajar de sinais?
É "deficiente" uma pessoa cega? Ou a sensibilidade dela para perceber todas as coisas é uma lição para todos?
E assim poderíamos enumerar tantas outras diferenças!! Razão de tantos conflitos!

Sou muito, mas muito mais uma criança diferente que sabe abraçar do que tanto adulto falso que promulga leis, que exclui, que abraça uma mãe e diz "máezinha, procura uma escola melhor pra seu filho, que aqui não temos condições de 'tratar' dele..." ... hipocrisia pura! comodismo!

O que toda a sociedade "normal" carece, urgentemente, é olhar pro seu nariz. Por isso é que acredito que os pais devem lutar, sim, pra quebrar este muro de indiferença instituído nas escolas, no ministério da educação, exigir mais atenção e cuidados. Mesmo com a presença do monitor, se todo o demais não evoluir para uma ação mais integralizante (na sala-de-aula, por parte do(s) professor(es), a filosofia da escola em si), nada irá mudar! Esta criança vai continuar sendo discriminada, vai continuar sendo vista como 'um alien', vai continuar se sentindo oprimida, rotulada e alijada.

O que será dos cidadãos "normais" do futuro se não aprendem a conviver e respeitar os diferentes hoje, enquanto todos são crianças??

Sei muito bem como são tratados os profissionais das "cotas" nas empresas... na maioria das vezes: na frente, sorrisinhos condescendentes, nas costas, piada e até raiva por ser um "peso morto ganhando salário"...

Esta hipocrisia social de perfeição precisa ser enfrentada!! Eu faço o que considero a minha parte!

Down - um cromossomo de diferença, capacidade de aprender, apenas em um ritmo mais lento
Onde nos leva toda esta pressa louca dos dias atuais?
Indivíduo dono de um afeto que precisamos urgentemente incorporar em nosso dia a dia.

Hiperativo - características de inquietude, pressa em fazer, alegria e brincadeiras
Onde nos leva toda esta seriedade e sisudez da filosofia do lucro rápido e fácil?
Indivíduo que, quando bem direcionado, leva alegria, bom humor e leveza aos ambientes onde passa.

Desatento - interesses focados naquilo que interessa (características de qualquer pesquisador) - ao invés de tentar "moldar" precisamos ouvir o que ele tem a dizer!!

Obssessivo Compulsivo - cuidados em organizar, em deixar tudo arrumadinho e bonitinho. Como será que se conseguiria preencher os quadros dos arquivistas, dos responsáveis por fichários, por estoques em almoxarifados, não fossem os muito cuidadosos em colocar tudo certo-no-seu-lugar-certo? (Claro, seu também assisti ao filme "Melhor Impossível" e o que foi preciso, ali? Reforço afetivo, alguém que cuida, alguém que ama! Só assim pra 'sair do casulo', como em qualquer outro comportamento tido como 'estranho'. Quando o protagonista do filme mudou? Quando se sentiu motivado e resolvido a apostar em uma pessoa que lhe deu mostras de que também se sentia atraída por ele!! Motivação - qual o motivo que me impulsiona à ação!)

Desafiador Opositivo - bem direcionado, este indivíduo é o típico líder, que leva os outros para a frente, um líder argumentativo em potencial. Precisamos de pessoas que contestem este modelo enlouquecido, que só concebe felicidade através de cifras e posses!!
A criança com estas características precisa de direção, de limites, sim, para que não acabe em um déspota, um ditador, um tirano... mas, ela necessita de conselhos, exemplos, acordos, não de surras, castigos, humilhações, químicas pesadas!

...e assim, um a um, podemos ir enumerando....

Sob uma visão assim inteligente, acolhedora e inclusiva, qual o percentual dos que efetivamente precisariam de medicação tarja preta?



Marise Jalowitzki
Compromisso Consciente

Escritora, Educadora, Blogueira e Colunista
Idealizadora e Coordenadora do Curso Formação para Coordenadores em Jogos e Vivências para Dinâmica de Grupos,
Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela FGV,
Facilitadora de Grupos em Desenvolvimento Humano,
Ambientalista de coração, Vegana.
Certificada como International Speaker pelo IFTDO-VA-USA
marisejalowitzki@gmail.com 
compromissoconsciente@gmail.com 



Livro: TDAH Crianças que desafiam 
Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família
Contra o uso indiscriminado de metilfenidato - Ritalina, Ritalina LA, Concerta

Para conhecer mais e adquirir, acesse: 
TDAH Crianças que Desafiam - Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família




Nenhum comentário:

Postar um comentário