quarta-feira, 2 de junho de 2010

Trabalhando a COMUNICAÇÃO EFETIVA ENTRE AS EQUIPES (com dinâmica)


Trabalhando a COMUNICAÇÃO EFETIVA ENTRE AS EQUIPES
Dinâmica de Grupo


Corpo Real, Corpo Ideal 

(pág 106 do Livro Jogos e Técnicas Vivenciais nas Empresas)


Desenvolvimento:

Os participantes são convidados a se reunir em cinco subgrupos, podendo essa divisão ser espontânea ou conduzida pelo facilitador, que anuncia:

"Como vocês bem sabem, a organização está passando por desafios constantes e ela vem, anunciando, frequentemente, o quanto temos de nos desenvolver em questões de competência e empreendorismo. Aliás, esta é uma exigência nos tempos atuais, caso a empresa queira sobreviver. Para tanto, é preciso que verifiquemos, em nós mesmos, o quanto estamos condizentes com o perfil esperado ou o quanto ainda temos de nos desenvolver. Nesse momento, vamos ter a oportunidade de vivenciar um exercício que nos possibilitará verificar e analisar como estamos, como indivíduos e como time. é preciso, realmente, pensar como um todo, como um único corpo."
Em um saquinho estarão cinco bilhetinhos contendo, em cada um, uma das seguintes palavras: Cabeça, Tronco, Braços, Pernas, Coração. Cada subgrupo retira um dos papeizinhos. No centro da sala, no chão, estarão cinco folhas de flipchart, uma em cima da outra, mais os potes com tinta guache em cores diversas. O facilitador esclarece:
"Cada subgrupo recebeu uma palavra e essa palavra deverá ser reproduzida por um desenho. Bom trabalho!"
Após essa instrução, o facilitador sai literalmente de cena, virando-se de costas para o grupo e indo ocupar-se com algum material sobre a sua mesa. Somente se alguém o interpelar é que declara: "Façam como vocês acharem melhor!". É importante não direcionar caminhos.

Comentários
Geralmente, os subgrupos realizam o trabalgho isoladamente, cada qual desenhando sua parte com esmero, dando o melhor de si. Quando todos tiverem completado suas obras, o facilitador pede que cada subgrupo apresente seu trabalho, comentando sobre a confecção, idéias, participação, etc. Após todos terem concluído, solicita que coloquem as obras no centro do círculo (ou colem na parede) e montem o corpo que, nesse momento, representa o grupo. Logo todo percebem que não há conexão entre as partes, o pescoço não encaixa no tronco, os braços, sem simetria com o restante do corpo (é preciso, inclusive, cortar a folha a fim de possibilitar o encaixe), as pernas são finas ou grossas demais, há pés desproporcionaisou às vezes nem aparecem. Enfim, é importante dedicar um espaço considerável para analisar o contido na figura. O que representam as botas (ou sapatos de salto) colocados nos pés? Muitas vezes o rosto é feminino, com maquiagem, brincos nas orelhas, cabelos cacheados e o restante do corpo é todo masculino (ou vice-versa). A partir dessa verificação e comentários, o time é convidado a refletir sobre o seu cenário atual, o que está sendo requerido pela organização e o que será necessário fazerr para alterar a situação. Muitas vezes, solicitam a oportunidade de confeccionar um novo corpo/grupo, dessa vez ouvindo a todos, delimitando "características de perfil desejado" , delineando estratégias de atuação.
Exemplo de conclusões:
Na folha de flipchart dividida ao meio constam as inscrições - Quais os pontos fortes/os pontos a melhorar? O facilitador vai escrevendo a partir das observações dos participantes e, depois de concluído, sugere que façam uma analogia com a realidade do grupo.


Pontos Fortes
Tem olhar firme (visão de futuro)
Está de frente, não tem medo (aceita desafios)
Tem um grande coração (enxerga as pessoas e as valoriza)


Pontos a melhorar
- O corpo não combina com a cabeça ( geralmente "cabeça" é a Diretoria. As demais partes do corpo são as áreas fim. 
- As botas são muito grossas em relação ao resto do vestuário (será que as ordens e ações na execuçãonão são repassadas com excessiva crueza?)
- As mãos e os pés são pequenos (ação e impulso para o novo, como andam?)


Questões que o facilitador pode fazer:

- Que situações do dia-a-dia ratificam essas constatações com relação ao desenho?
- Quais as atividades/pontos/áreas que não combinam entre si? O que é preciso aprimorar em termos de comunicação e propósitos?
- O que devemos fazer para que fique mais harmônico?
- O que podemos fazer?

A situação ideal é que se consiga, antecipadamente, um delineamento do perfil desejado pela alta cúpula; o trabalho fica bem mais validado, pois possibilita ao grupo lidar realisticamente sobre seus "gaps", os intervalos que existem entre onde estão e o que necessitam treinar/desenvolver em suas habilidades pessoais, ou como área de trabalho.


Uma outra forma de trabalhar os "COMPROMISSOS":

- Em uma única folha, cada um inscreve uma sugestão de aprimoramento. O grupo escolhe quais as que serão implementadas já, estabelecendo prazo e índice de qualidade. Cada participante receberá uma cópia desse Plano de Ação e Metas, sendo incentivada a retroalimentação, o acompanhamento e a avaliação dos resultados, com a respectiva escolha de responsáveis pela efetivação dos encontros posteriores.


Plano de Ação, de Metas, de Melhorias:
Esses compromissos, podem acontecer assim:

Distribuo, ao final, uma folha para cada participante, solicitando que escrevam alguma situação de melhoria em si, que redunde na melhoria do grupo. Peço que leiam em voz alta e se comprometam em praticar com um ou mais colegas. Caso os encontros de desenvolvimento tenham continuidade, no próximo evento o Facilitador destina um tempo para que coloquem as ações efetivas que praticaram neste sentido. 
Permaneço à disposição.

Abraços e votos de muito Sucesso!
Marise Jalowitzki

(Obs.: Conheça mais detalhes da vivência "Corpo Ideal, Corpo Real", incluindo relatos de experiências em: Jogos e Técnicas Vivenciais nas Empresas - pág. 106 a 109 - de Marise Jalowitzki - Ed. Madras - 2000)





Nenhum comentário:

Postar um comentário