domingo, 20 de junho de 2010

COMO "FUNCIONAM" OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS DURANTE A APLICAÇÃO DE DINÂMICAS DE GRUPO



COMO "FUNCIONAM" OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS DURANTE A APLICAÇÃO DE DINÂMICAS DE GRUPO
Marise Jalowitzki


Trabalhar com os termos "hemisfério esquerdo" e "hemisfério direito" é uma forma didática de obter melhor assimilação do que seja reação lógica (aprendida) e reação instintivo-intuitiva, que é a chamada inteligência emocional.


Embora o termo esteja já bastante divulgado é sempre importante avivar conceitos e significados.


Nosso cérebro possui três "camadas", como se pudéssemos classificá-las como sendo "três cérebros".


O mais instintivo de todos é o "cérebro réptil", onde estão os comandos que nos permitem manter a coluna vertebral ereta e onde estão armazenados todos os códigos genéticos desde o "big-bang". É um arquivo. Pouco ou quase nada conhecido. Geralmente chamado de id ou inconsciente.

"Recobrindo" essa camada está o "cérebro emocional", onde, naturalmente, o "arquivo" direciona ações que tomam por base os sentimentos e emoções. Quanto menos conhecimento o indivíduo tem de suas emoções e sentimentos, tanto mais reagirá "sob instinto", ou seja, pelo "comando do arquivo".

A camada mais externa, a "capa maior", chamamos de "cérebro racional" ou lógico, onde estão as coisas aprendidas, as crenças e os valores herdados.

Quanto mais conhecemos a nós mesmos, aos nossos semelhantes e ao meio ao qual estamos inseridos, mais condições temos de enviar mensagens ao nosso cérebro emocional.


Com o decorrer do tempo, podemos ficar mais ou menos felizes ou infelizes. Vai depender de como assimilamos todas essas mensagens:
Recebendo, analisando e elegendo as que nos parecem mais convenientes e confortáveis = mais felizes;
Recebendo, sem analisar muito e tentando, de qualquer forma, adequar-se aos padrões exigidos = menos felizes (infelizes)

A Inteligência emocional (*) nos permite tomar consciência de nossas emoções e, através de desenvolvimento constante, compreender os sentimentos dos demais, tolerar as pressões e frustrações da vida cotidiana, desenvolver nossa capacidade de trabalhar em equipe e adotar uma atitude empática e social, o que nos proporcionará maiores possibilidades de evolução pessoal e profissional.

As emoções são impulsos para a ação, e se constituem em tendências biológicas, que diferem de indivíduo para indivíduo, já que são moldadas de acordo com as experiências do passado de cada um e a educação que cada um recebeu.

É essa história pessoal e social que guia nossas decisões, trabalhando em parceria com a mente racional, impedindo ou possibilitando a tomada de uma ou outra decisão.

Do mesmo modo que o painel do carro, ao acender, indica que subiu a temperatura ou há pouco combustível, também as emoções emitem um sinal de que a coisa está se modificando. Cada emoção possui uma "luz" específica e indica uma situação ou desafio a resolver. Quanto mais equilibrado o indivíduo, mais ele poderá captar qual o problema específico que desencadeia determinada emoção e qual o melhor caminho para resolver este problema detectado.

Exemplo: "Fico irritado quando sou contrariado".
"irritado" = emoção
"contrariado" = a reação, o problema, a situação, a circunstância.
Então, o problema não está em estar "contrariado" e, sim, identificar o que deixou irritado.

Qual o melhor caminho para obter maior equilíbrio emocional?
Trabalhar-se internamente
- para controlar a irritabilidade, pensando na necessidade e conveniência de manter-se em maior serenidade
- exercitar-se para ouvir as razões do outro
- procurar sair do estado de irritabilidade antes de estourar, ainda que tenha de sair do próprio ambiente físico em que se encontra (saída estratégica: ir ao banheiro, beber água, buscar algum papel "esquecido", etc.)
- colocar alguém para conversar com determinada pessoa em seu lugar, etc.

"As pessoas com habilidades emocionais bem desenvolvidas possuem mais probabilidades de sentir-se satisfeitas e de ser eficazes em sua vida, dominando hábitos mentais que favoreçam sua própria produtividade." (Daniel Goleman)


DINÂMICA DE APLICAÇÃO DOS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS(**)

Ao iniciar um programa de desenvolvimento, é interessante colocar o resultado dos estudos de Roger Sperry, prêmio Nobel de 1981, que conseguiu comprovar a lateralização dos hemisférios cerebrais. Vários estudos já se seguiram após essa comprovação científica.

Os dados de "esquerdo" e "direito" parecem ser ainda os mais efetivos para assimilação de um público mais leigo. Para quem já ouviu esse relato, situa o contexto em que se vai trabalhar.

Para os que nunca ouviram (ou ouviram e esqueceram), fica mais fácil assimilar que a abordagem lúdica dos jogos se respalda na maior ativação do hemisfério direito (até por ser o mais negligenciado) e que não se trata de um modismo para impressionar. Quando os participantes ajudam a compor os dois lados, a participação é maciça e o envolvimento para as atividades posteriores é bem maior.

NOSSO CÉREBRO
HEMISFÉRIO ESQUERDO


Lógica
Valor à matéria
Razão
Censura
Herança
Matemática
Linguagem Verbal Certo/Errado
Estatística
Objetividade
Leis e normas
Conhecimento
Valor Estético
Religião
Preconceitos
Ações calculadas
Crenças e Costumes
Planejar o futuro
Reino do TER
Deus Apoio

HEMISFÉRIO DIREITO
Intuição
Alegria
Emoção
Sensações
Criatividade
Tristeza
Sabedoria
Espiritualidade
Autenticidade
Visão generalista
Raiva
Prazer
Lazer
Ousar
Arriscar
Sinceridade
Subjetividade
Viver o momento
Espontaneidade
Reino do SER
Deus Dionísio


Após o "preenchimento cerebral" e utilizando esse mesmo quadro (geralmente construído no ato, em folha de flipchart (para proporcionar o tátil) pode-se MUITO BEM, na sequência, aprofundar questões de crenças e valores, sejam individuais ou coletivos. As crenças e os valores são aprendidos e cultivados por determinados segmento social.

Há algumas crenças e alguns valores que são mais gerais, sendo aprovados por toda a sociedade. Todos eles precisam ser revistos, sempre equiparando-os, na balança existencial, com o grau de felicidade que proporcionam. E avaliar: o que está em nossas mãos mudar e o que não podemos modificar e, nesse caso, até onde podemos suportar e conviver.

(*) Esse conteúdo e outros constituem o CD Motivação (em powerpoint e word)
(**) Extraído do Livro Manual Comentado de Jogos e Técnicas Vivenciais - esgotado

Abraços a todos!
________________________________________________________
MARISE JALOWITZKI é escritora.
compromissoconsciente@gmail.com
Porto Alegre - RS - Brasil
_______________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário