quinta-feira, 27 de maio de 2010

CARNE VERMELHA E EMISSÃO TÓXICA - DIMINUINDO OS "PUNS"





Carne vermelha e emissão tóxica - Diminuindo os "puns"


CARNE VERMELHA E EMISSÃO TÓXICA
- DIMINUINDO OS "PUNS" -
Marise Jalowitzki




http://t.co/bdKKDqC

Frequentemente, nas lides que se preocupam com o meio ambiente, sustentabilidade social, ecologia, preservação do planeta, etc. o tema aponta, também, para a emissão dos gases tóxicos. E há um viés que incomoda principalmente os carnívoros (Humanos que comem carne processada, e não crua, deveriam receber uma denominação mais definida. Vá lá.). Diz respeito, diretamente, ao fato de comer carne vermelha.
*
A emissão de gases tóxicos por ocasião dos detritos orgânicos ejetados pelos bovinos é apontada como uma das causas preocupantes de poluição planetária. O excesso de gases poluentes, como se sabe, cria uma barreira na atmosfera, impedindo a livre passagem dos raios solares e acarretando, dessa forma, o indesejado efeito estufa. Assim, quando os cientistas e ambientalistas voltam seus olhares para os animais, entra em pauta o papel dos bovinos, bem como as áreas onde eles são criados. A preocupação com o alto índice de gases ("puns") dos touros, bois e vacas, principalmente, está dando muita dor de cabeça aos pecuaristas e industriais (atacadistas e varejistas). "Mexer no bolso" sempre traz à luz novas pesquisas, a busca por novas práticas, como forma de apresentar saídas às situações alarmantes.
*
Abordar o consumo de carne vermelha, ou a diminuição desse consumo (alguns idealizam a extinção do consumo) mescla conscientização, conhecimento, trocas de percepções e compartilhamento de experiências de vida.
*
Sou vegetariana há 28 anos, tenho uma filha de 35 anos que é vegetariana desde os 7 anos; o genro, inclui no alimento apenas carnes leves (as chamadas "carnes brancas" - frango e peixe, em reduzida quantidade); dois netos (de 13 e 11 anos) que são vegetarianos desde o ventre materno. Somos todos fortes e saudáveis. Uma disposição para Vida e para o Riso!
*
Não que não se encontre pessoas assim em outros meios e com outras dietas, estou apenas ratificando que se sobrevive, sim, sem ingerir carne vermelha! rsrsrs
*
Quando adotei este regime, como disse anteriormente, minha filha tinha 7 anos. Houve toda uma preocupação com a saúde dela, desenvolvimento físico, emocional, intelectual, toda uma atenção voltada para a estrutura óssea e dentária. Pesquisei, procurei fontes especializadas. Hoje, do alto de meus 28 anos de vegetarianismo (rsrsrs) informo que há nos demais alimentos todas as proteínas que a carne também contém. Não existe isso que alguns profissionais afirmam "há proteínas que só a carne contém". Há pouco tempo houve um programa televisivo específico sobre alimentação que apontou, principalmente no grão-de-bico, a alta concentração protéica (Grão-de-Bico, atualmente chamado de "O Grão da Felicidade", por suas saudáveis propriedades).
*
O que é preciso é a adoção de um balanceamento acompanhado, no início da adesão ao regime, para não cair em anemia. Depois, vira hábito e a mente, naturalmente, já sugere esse ou aquele alimento, consumido com o mesmo prazer que leva a gente a fazer do ato de alimentar-se uma celebração.
*
O que me levou, à época, foi uma conscientização de não-violência contra qualquer ser, apregoada pelo Gandhi.
*
Não sou daquelas pessoas que tentam "doutrinar" os outros. Conscientização é um ato individual. O que podemos é prover de informações e cada um, a seu tempo, tome a decisão que achar melhor para si naquele seu estágio de vida. Importante é essa conscientização também levar em conta o efeito que suas decisões acarretam, seja para si, para os que estão próximos, para o meio ambiente como um todo. Esse pensar sobre o meio ambiente, parece-me, é o mais difícil para cabeças egóicas, cujo olhar não vai além de seu próprio umbigo (e olhe lá, pois, na maioria das vezes, o "próprio umbigo" nem se preocupa com sua própria saúde). Tenho um conhecido que me cansa - seguidamente sei que vai parar no hospital aos finais de semana, pois "não pode ficar sem" o seu churrasco de sexta-feira à noite!... Até agora, todos os aconselhamentos para que mude seus hábitos, tem resultado infrutíferos.
*
Comedimento é uma atitude sábia em todas as circunstâncias. Aqui no RS, pela força cultural, há muita celebração em torno da carne. Por vezes, quando sou convidada, participo de tais eventos onde é servido o churrasco, ficando apenas nas saladas e outros pratos (batatas, farofas puras, essas coisas).
*
A quem se interessar em saber o que acarreta, no organismo humano, um consumo significativo de carne vermelha, a médio e longo prazo, recomendo que pesquisem mais e mais, para se inteirar de origens, causas e efeitos. Não vale ir pesquisar em autores que pertencem às próprias companhias geradoras dos produtos em questão...rsrs
*
Há algum tempo assisti a uma palestra onde o médico cardiologista que palestrava apresentou uma pesquisa sobre os benefícios do café, que, de uma hora para outra, virou "tudo de bom". Leu trechos, parecia estar fazendo propaganda. Todos estranharam. Ao final, ele recomendou exatamente isso: que se procurassem as fontes, e que se permitissem a neutralidade. Citou, depois, o autor das pesquisas que mostrara há pouco: um dos maiores fabricantes do mundo...de café!...
*
Outro dia um conhecido declarou que "parar de comer carne se for SÓ por conta do meio ambiente e não por um estilo de vida, não deixo de comer carne vermelha, afinal existem coisas muito mais importantes que devemos combater para amenizar os impactos ambientais". Ele tem razão com relação às "coisas mais importantes", mas será que esse cidadão está realmente consciente do que é o meio ambiente e como ele se encontra ameaçado? Ou seja, nós, enquanto minúsculas "formigas" presas à crosta terrestre, é quem estamos ameaçados! É uma causa tão ou mais importante do que salvar a SUA própria vida, pois significa pensar em nossos filhos, em quem vai herdar o que deixamos como habitat.
*
Claro que há MUITO MAIS com que se preocupar do que comer carne vermelha, falando em meio ambiente, lixo e toxicidade!! Só que, por conta da criação de bovinos é que acontecem tantos e tantos desmatamentos. A Nestlé, por exemplo, teve de "conscientizar-se" através de todo um movimento do Greenpeace, para que parasse de desmatar para impedir a extinção das florestas onde vive o orangotango. E nem era por causa da carne. Era pelo leite, matéria essencial para os produtos daquela empresa. Então, O CUIDADO EM DIMINUIR O DESMATAMENTO está em prioridade. Aos amantes de uma dieta a base de carne, comedimento pode cair melhor do que a supressão.


Há pesquisas já em avançado nível para modificar geneticamente a estrutura funcional dos bovinos, a fim de que possam continuar servindo a espécie humana, sem que emitam tantos "puns".... Como sempre, o ser humano ajustando, modificando, tentando adequar situações-efeito para poder continuar praticando as causas! Somos uma espécie muito complexa...não dá pra dizer que não há criatividade!!!... Mais uma vez os animais utilizados como instrumentos e o ser humano se sentindo o criador; só que, no adágio, havia "criador" e "criatura"; hoje, há o pseudo-criador e os instrumentos de manejo.




Felicidades a todos!
Abraços!


Leia também: 
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2012/01/onu-recomenda-comer-insetos.html

ONU Recomenda Comer Insetos


Insetos - Entomofagia - Alimentação do Futuro?

E, querendo, conheça mais sobre o tema OPÇÕES ALIMENTARES em: http://ning.it/zV6kYc  

Somos o que comemos - Hipócrates, Pai da Medicina, sabia o que estava dizendo



Opções alimentares - Carne, insetos, vegetarianismo
Página de Links



Marise Jalowitzki
Compromisso Consciente


Escritora, Educadora, Ambientalista,
Coordenadora de Dinâmica de Grupo,
Especialista em Desenvolvimento Humano,
Pós-graduação em RH pela FGV,
International Speaker pelo IFTDO-EUA
Porto Alegre - RS - Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário