sexta-feira, 22 de maio de 2015

TDAH e outros - Sobre as diferentes crianças que aportam em nosso planeta e a medicalização


Quem são, na verdade, os TDAH, DDA, TDO, TOC, TDDH, bipolar, psicótico, depressivo, esquizofrênico, etc. etc. etc.? Índigo, Cristal, Arco-Íris, Diamante. São crianças diferentes, que vieram para mostrar aos adultos enrustidos que os valores professados como a nossa "fórmula de sucesso" está defasada e é inútil! 

"Gustavo era o aluno com maior peso. - 6ª série do Fundamental, colégio particular -. Pais separados, começou a ter desempenho sofrível e, após alguns meses de medicação, desenvolveu um caráter bastante agressivo. Suas reações impulsivas iam desde xingamentos até empurrar e bater no rosto de meninas. 
Todos os colegas alarmados, professores levando o caso ao conselho pedagógico, nenhuma conversa posterior com a turma. 
A situação parecia que iria explodir a qualquer momento. 
Não bastasse isso, alguns professores insistiam em chamar Gustavo para a frente, para dar respostas na tela. Ele errava, por vezes chorou em frente a todos os colegas. 
“É para inclui-lo!” – argumentavam os professores que o expunham frente aos outros. “Os colegas tem de vê-lo como um igual.” – mas não viam. 
E nenhum trabalho neste sentido (inclusão) acontecia. 
As garotas tinham medo dele, alguns meninos zombavam. Quando ele voltava do banheiro com os olhos inchados, depois de ter agredido um colega em sala e saído, batendo a porta, sempre havia alguém que perguntava: 
“- Tu chorou, Gustavo?” Ele baixava o rosto, esfregava os olhos e dizia: 
“- Não!”.
(pág 202 - Livro TDAH Crianças que Desafiam)

Após dois anos, reencontro mãe e filho, agora um rapaz, ainda robusto, sorriso tímido e modos educados. "Tirei a medicação!" - ela diz. "Ficou outro! É o meu velho Gu!"






Por Marise Jalowitzki
22.maio.2015
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/05/tdah-e-outros-sobre-as-diferentes.html

Quem são, na verdade, os TDAH, DDA, TDO, TOC, TDDH, bipolar, psicótico, depressivo, esquizofrênico, etc. etc. etc?
Índigo, Cristal, Arco-Íris, Diamante.

São bem poucos os adultos que entendem que todos nós temos características inerentes, pessoais, únicas. Vivemos em um mundo onde "Grupos" de pessoas parecem estar sempre em oposição a outros "grupos", quando, na verdade, deveríamos apenas reivindicar o direito inalienável de existir e co-existir.

É assim com as torcidas organizadas de times (onde a rivalidade é sempre incentivada, a ponto de ser menos importante o seu time vencer, o que "não pode" é o time rival vencer....)
É assim com os partidos políticos (olha o nome: partido, pedaço, segmento) onde as brigas por poder e ganhos chegam ao ridículo!
É assim também nas religiões, que, por vezes, constróem embates separatistas inenarráveis!
Países, modelos econômicos, tudo, tudo leva à competição e à exclusão!



A Inclusão é o que une e implementa a Paz

Esta é uma filosofia que norteia os meus passos: semear, jogar as informações... aceita quem quer, aceita quem pode perceber, implanta em suas vidas aqueles que considerarem válido. Mas, disputas de "verdades", absolutamente, isto não me atrai.

Aí, perguntam-me sobre Crianças Índigo, Arco Iris, Cristal e Diamante. Já me referi em outros momentos sobre Índigo e Cristal. Por considerar o tema delicado e procedente, volto a me manifestar sobre.
Já devem ter notado que evito usar estas denominações. Aliás, evito quaisquer denominações para nossos pequenos.
Já assisti mães se darem muito mal ao usar esta terminologia em uma escola de patrocínio religioso (tanto católica, protestante e-ou outras). Já vi amigos, fiéis em seu comparecimento a cultos religiosos, serem salientados em público e sentirem vergonha por comentários irônicos. Até em terapias, com especialistas que não conhecem (ou não aceitam) a terminologia, vi mães tendo suas afirmações contestadas.

Então, prefiro não usar jargões.

Todas as crianças são crianças queridas que precisam ser aceitas e encaminhadas para serem cidadãos íntegros e felizes!
Mas, sinto que, para o entendimento e aceitação de pais sensíveis, isto faz efeito. E, se for para facilitar o entendimento, com certeza, vale a pena.
Para uma mãe que tem um menino pré-adolescente, escrevi:
E, nesta terminologia, amiga, não sei de muitos detalhes de teu filhotinho, mas, das coisas que sei, ele é mais cristal que índigo... até pelo fato de não brigar, de se auto punir, de tentar se enquadrar, estas coisas (a pérfida linha da medicalização os inclui mais na desatenção).

Infância não é desordem mental

- O Índigo é mais contestador, guerreiro, tenta mostrar a verdade, que é tão clara para ele! O mundo "não pode" continuar nos velhos parâmetros... e é, por essa sua garra, incluído como hiperativo ou desafiador opositivo...dê-lhe medicação para abafar e confundir!).
- A criança Cristal é mais sensível, menos contestadora, bastante frágil, chora muito. Apresenta uma verdade 'cristalina' e, simplesmente, não entende como as demais pessoas não enxergam o mundo integrativo como elas. Chega no caminho aberto pelos Índigo. Geralmente são diagnosticadas como desatentas.
- Arco-Íris é o que vem 'de boa', o que é considerado 'no mundo da lua', é dócil, briga pouco ou nada, sorri, é amigo sempre (por vezes incluído como asperger...) e
- Diamante tem um poder interno, uma convicção tão grande, que enfuresce os adultos (que o julgam arrogante e o consideram TDO e TOC, incluindo bipolar e psicótico)... Não gosta de usar o seu poder, mas, quando o faz é capaz de mudar todo o cenário. Possui uma liderança em potencial.

Podemos dizer que Cristal e Arco-Íris são os mais frágeis e que, não raro, sucumbem neste planeta cheio de controvérsias, por vezes desistindo de viver, indo a óbito.

Este nosso momento-mundo é cruel por demais. Nós, os adultos "modernos" continuamos como os primitivos das cavernas, que excluíam (e matavam ou mutilavam) tudo o que ameaçasse, tudo o que desconheciam e, por consequência, temiam. E é por isso que retiro as nomenclaturas, preferindo apenas lidar de criança a criança, sem rótulos.

Independente de como resolvemos identificar os indivíduos, o mais importante é INCLUIR!

Os adultos que resistem às mudanças e que valorizam o conformismo geralmente não compreendem as crianças de agora.
Como muitos idosos de hoje não compreenderam as crianças que fomos. Só que hoje há o abuso químico!
Assim, as crianças são frequentemente diagnosticadas erroneamente como TDAH ou TDA, ou TDO, TOC,TDDH - Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor...a cada dia surgem novas siglas... alem dos já conhecidos diagnósticos de bipolaridade, neurose, fobia, esquizofrenia e psicose, etc. etc....

 Infelizmente, quando são medicados com psicotrópicos, as crianças recebem uma carga química tão forte que turva sua visão original de vida e mundo, tornando-os confusos e sem energia, ou com energia distorcida.


E, por falar em carga química

E como desconsiderar tudo o que está empestando nosso planeta?

Sim, é preciso atentar para a questão do nosso meio ambiente tóxico! A influência dos pesticidas (terra, água, ar), alimentos, radiação, tudo altera! 

- Alimentos estão adulterados (envenenados ou geneticamente modificados). Corantes, espessantes, conservantes e tantos mais, tudo químico, tudo sintético, tudo artificial. Ampliando alergias, doenças, características. Tudo sendo jogado no rótulo de "herança genética". Brasil é o 2º maior consumidor de transgênicos. O 1º lugar em uso de agrotóxicos.
- Águas contêm chumbo. Aditivos de flúor e cloro.
- Titânio na pasta de dentes e em centenas de eoutros produtos.
- Carne com toxinas, antibióticos e vacinas.
- Leite de vaca com venenos - a vaca recebendo hormônio pra permanecer prenha toda a sua miserável vida. Humanos bebendo leite (que era do bezerro) pleno de antibióticos (pra curar a inflamação do ubre da vaca), vacinas e hormônios. Já há pesquisas brasileiras sobre leite materno contendo 5 agrotóxicos! Fora a adulteração constante do leite (formol, cloro, água sanitaria, soda cáustica - Leia sobre a Operação Leite Compensado!!!)
- Vacinas brasileiras contendo ethylmercúrio e alumínio como conservantes, promovendo até paralisação dos membros inferiores de quem recebe!

E poderíamos ficar enumerando caso a caso, item a item.
Tudo alterando físico e sistema neurológico...Como vamos encarar isto?
Quantos outros biotipos terão de ser descritos???

Procure uma vida o mais natural possível!
-----------------------

METADE DE TODAS AS CRIANÇAS SERÃO AUTISTAS EM 2025, ADVERTE CIENTISTA SÊNIOR DE PESQUISAS NO MIT



Sério demais! O Roundup continua sendo utilizado livremente no Brasil, vendido clandestinamente ou sob outros nomes! Pedido de reavaliação do produto, no Brasil, encaminhado ao Ministério da Saúde, está parado há 6 anos!

Brasil ocupa o 1º lugar em uso de agrotóxicos no mundo! O 2º lugar é dos EUA.

* MIT - O MIT - Instituto de Tecnologia de Massachusetts é um centro universitário de educação e pesquisa privado localizado em Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos

http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/04/serio-demais-metade-de-todas-as.html



Philippe Grandjean





TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, autismo, síndrome de 

Asperger, dislexia, paralisia cerebral - A "epidemia silenciosa" de toxinas 

químicas ferem nossos filhos




Por Marise Jalowitzki
19.janeiro.2015
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/01/venenos-do-cotidiano-perturbacoes.html
----------------------------------

Pela Não medicalização de crianças!
Pela Não medicalização da sociedade!
Pelo fim do uso de pesticidas em alimentos!
Pela limpeza do planeta!

Marise Jalowitzki​




Querendo, leia também:

Pessoas sempre foram e sempre serão diferentes entre si. Diferentes
métodos e abordagens para conhecer e classificar esta diversidade
continuam sendo praticados e oferecidos.
(...)

Diferentes filosofias e visões inclusivas buscam identificar as habilidades, qualidades e características de cada indivíduo e aproveitá-las da melhor maneira possível. Não uniformizar sob mesmos comportamentos e reações. Manter a diversidade, aprimorando as relações e o desempenho.





Por Marise Jalowitzki
06.maio.2015
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/05/tdah-muita-muita-conversa-menos-muito.html



 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

blogs:







Nenhum comentário:

Postar um comentário