quinta-feira, 19 de junho de 2014

HOMEOPATIA PARA CRIANÇAS DIAGNOSTICADAS COM OS SINTOMAS DE TDAH



Fica o incentivo, aqui, para que homeopatas brasileiros que, conhecidamente, estão tratando crianças que os pais encaminham a seus consultórios já diagnosticados como TDAH, registrem seus dados, se unam e publiquem. A sociedade carece de tais informações.



HOMEOPATIA PARA CRIANÇAS DIAGNOSTICADAS COM OS SINTOMAS DE TDAH

Por Marise Jalowitzki

Face várias solicitações sobre as homeopatias que são transcritas para crianças, transcrevo um trecho do capítulo 7 - "Sintomas e tipos de tratamento de TDAH, efeitos colaterais e riscos pelo uso do metilfenidato" (pág.103 a 133 do Livro TDAH Crianças que Desafiam).
A Homeopatia tem, sim, vários medicamentos indicados para crianças diagnosticadas com tdah. Porque digo vários: porque NENHUM diagnóstico é igual a outro, já que os sintomas enumerados são múltiplos e se apresentam em cada crianças em índices e qualificações diversos. Tanto que alguns falam em déficit de atenção e hiperatividade; só hiperatividade; só deficit de atenção; agressividade; impulsividade e por aí vai. Ainda juntando episódios traumáticos (muitas, muitas crianças passam por eles), entram em depressão, tristeza, insatisfação, se defendem (ofendem), se aquietam (não falam); ficam avariadas em sua auto estima (tem medo, sentem-se inseguras, falam atrapalhado). Assim, é preciso ver com o homeopata qual o específico para cada caso. Stramonium geralmente é receitado para agressividade ou impaciência excessiva, embora o que li (e transcrevi) fale em stress pós traumático.
Segue o trecho do livro:
"Os resultados de um estudo publicados no British Homeopathic Journal mostraram que, em 10 dias de tratamento com Stramonium, Cina e Hyoscyamus Niger, as crianças demonstraram melhoras significativas no comportamento e atenção, constatadas por pais e responsáveis. Segundo a Organização Healing-Arts, o Stramonium foi especificamente indicado quando a criança tinha muitos medos, ou sofrendo sintomas de transtorno de estresse pós-traumático. As crianças que eram fisicamente agressivas apresentaram melhores resultados com a ingestão de Cina, e, as crianças com sintomas maníacos ou sexualizadas responderam mais favoravelmente ao Hyoscyamus niger. Dois meses após a interrupção do tratamento, 19% das crianças que participaram do estudo continuavam apresentando melhora.
Fica o incentivo, aqui, para que homeopatas brasileiros que, conhecidamente, estão tratando crianças que os pais encaminham a seus consultórios já diagnosticados como TDAH, registrem seus dados, se unam e publiquem. A sociedade carece de tais informações.
As citações são para mostrar que já há o conhecimento disponível junto aos terapeutas credenciados. Em nenhum momento sugere a automedicação. (pág. 118)
Marise Jalowitzki


Uma professora escreveu:
"Sou professora e meu filho é bem agitado...mas pra mim é coisa de criança.  
Tenho um aluno que não tem encaminhamento da psicóloga, mas o pai se recusa a levá-lo. Muitos o criticam por essa atitude. 
Na escola que trabalho tem um aluno com laudo e ele já está tomando remédio... e confesso que fiquei muito triste ao vê-lo sob os efeitos da medicação.  
O meu aluno é muito querido e agora ao ver como é uma criança que usa essa medicação concordo com o pai que devem existir outros meios que ajudem essas crianças. E também o meu filho. Vou sim entrar no blog. Muito obrigada pela atenção."

Sinto contigo a mesma tristeza! Vi (e vejo ainda) muitas crianças que simplesmente viram autômato com a ritalina ou outros psicoativos. São, sim, pílulas de adestramento, de enformamento, de adequação e isto é MUITO triste! Não entendo como pais podem aceitar que façam isto com seus filhos e, pior, ao ver os efeitos, não suspender!!! SIM, a grande maioria dos casos são apenas crianças saudáveis, cheias de energia, que "incomodam" a alguns pais que não querem se preocupar, e "incomodam" a professores que precisam despender mais atenção do que gostariam. Nosso mundo e o futuro de nossas crianças estarão perdidos se os pais não acordarem pra esta realidade! Há homeopatias que substituem os psicotrópicos quando a medicação for realmente necessária. Há terapia psicológica que resolve casos de abusos, depressão, traumas, desajustes, não entendimento, comportamentos inadequados. E vários outros tipos de tratamentos, que não os tarja-preta que tantas reações nefastas causam nos pequenos!
Bênçãos!


Marise Jalowitzki
Compromisso Consciente

Escritora, Educadora, Blogueira e Colunista
Idealizadora e Coordenadora do Curso Formação para Coordenadores em Jogos e Vivências para Dinâmica de Grupos,
Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela FGV,
Facilitadora de Grupos em Desenvolvimento Humano,
Ambientalista de coração, Vegana.
Certificada como International Speaker pelo IFTDO-VA-USA
marisejalowitzki@gmail.com 
compromissoconsciente@gmail.com 



Livro: TDAH Crianças que desafiam 
Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família
Contra o uso indiscriminado de metilfenidato - Ritalina, Ritalina LA, Concerta

Para conhecer mais e adquirir, acesse: 
TDAH Crianças que Desafiam - Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família





www.marisejalowitzki.blogspot.com.br



14 comentários:

  1. Bom dia. Fico muito triste quando vejo uma reportagem super interessante e que no final julga os pais! Sinceramente adoro as bagunças do meu filho, ele faz sim o uso da ritalina e seu efeito dura no máximo cinco horas, já fiz quinhentos testes juntamente com a psicóloga, fono e professora, ele não vira robô nem deixa de fazer bagunça ele simplesmente consegue copiar matéria no quadro, acompanhar ditado, ele tem seis anos completará sete em maio e já foi pro segundo ano. Jamais daria uma medicação ao meu filho se notasse que ele virou robô. Então por favor parem de generalizar os pais dizendo que não se preocupam com os filhos. Pois eu não sou assim e sei que o uso da ritalina o ajudou e muito. Talvez as crianças que agem como robozinho é que não possuem TDAH e o efeito é tão nocivo.

    ResponderExcluir
  2. O artigo não tem nada a ver com 'julgamento', Dayanna e, sim, constatação pura de fatos do cotidiano. O artigo não fala em "todos os pais", fala de situações onde pais decidem, para obtenção de melhores notas, dopar filhos saudáveis e, mesmo quando os efeitos adversos aparecem, não cessam o uso (nos filhos). Há muita irresponsabilidade, sim. Há muito acomodamento, sim. Há muito desconhecimento, também. Não é por nada que o próprio Ministerio da Saúde emitiu em dezembro (vigorando já agora em janeiro.2016_ uma Resolução com força de Lei para monitorar melhor a emissão de diagnósticos apressados e o uso massivo do metilfenidato (Ritalina, Concerta e outros).

    Se estás vendo progressos em teu filho, que bom. Ele deve estar dentro dos estreitos 1,5% que efetivamente se beneficiam com o uso da ritalina (o que não acontece com outros 11 a 15%). Ainda assim, please, não descuida do monitoramento periódico do coração (feito através de ECG - Eletrocardiograma) para acompanhar um possível aumento de tamanho (crescimento exagerado), que pode trazer complicações bastante sérias.

    Médicos abalizados e reconhecidos internacionalmente afirmam que o uso de qualquer psicotrópico em crianças, além do monitoramento, não deve durar mais do que um, máximo dois anos.

    E, geralmente, no início os pais se encantam com os efeitos positivos dos psicotrópicos, o que é um fato. Só que, em médio prazo, tudo volta ao que era antes, ou o quadro piora. Ou, ainda, aparecem outras reações muito ruins (que os médicos chamam de comorbidades) e que são efeitos colaterais. Novas doenças, de difícil tratamento. E aumenta o número-quantidade de remédios tarja-preta.

    E, sim, permanece o convite-alvo deste artigo: procurar as outras medicinas.

    Abraços e gratidão pela visita ao blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para uma criança de 3 anos, qual seria melhor opção fora uso de alopáticos?

      Excluir
    2. Olá, Estação Fofurinhas! Cada caso é um caso, cada criança tem motivações e causas diferentes. Medos conhecidos, que a mãe pode identificar, medos desconhecidos (como hora do parto, alguma queda ainda bebê, etc.). Também a hiperatividade: acontece em todos os ambientes, ou a queixa é apenas da escola? A desatenção - é com tudo, ou há zonas de interesse? Já toma medicação psicotrópica, ou nunca tomou? Bate em outros ou se morde? Ou chora? Fala demais ou se atrapalha ao falar, misturando tudo? Assim, só uma avaliação com um pediatra homeopata, um fitoterapeuta ou um terapeuta floral, ouvindo a mãe, ouvindo a criança é quem pode prescrever a medicação mais adequada. Já leste sobre os Florais de Bach?

      Excluir
    3. já sim, ele usa floral, é autista não verbal mas querem entrar com medicamento pois hiperativo não senta e falta atenção contribuem para as terapias não terem progresso. Não é agressivo. Foi prescrito stramonium com hyocyamus mas ficou agressivo tomando esta homeopatia.

      Excluir
    4. mas não entendi, pois stramonium é quando é bastante impulsivo e até agressivo!! Como puderam receitar esta homeopatia se ele não tem estes comportamentos?
      Please, reveja com o homeopata, tenta explicar tudo de novo, em detalhes, e, se não procura outro homeopata.

      O rescue Remedy Kids é um composto floral que trata diretamente do nervosismo, da ansiedade, da agitação.

      Excluir
  3. Gente vou da uma dica e experiencia propria minha com meu filho homeopatia é maravilhoso e gravem isso a homeopatia as vezes primeiro piora os sintomas mais e depois vem a melhora q é gratificante basta ter paciencia so trato meu filho com homeopatia e ele esta otimo!!! Se livrem dessa alopatia ha imaginou como será um adulto q usa isso desde criança misericordia!! Desculpem é so o que eu pensso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isto mesmo, Victoria! Amor, Compreensão, Aceitação, a criança se saber amada e aceita do jeitinho que ela é, é o próprio caminho da Cura!
      Parabéns!

      Excluir
  4. Marize, boa noite.
    Gostaria muito de conversar com voce; meu filho está tomando medicação alopática (Risperidona e Torval), pois apresentou transtorno comportamental (agressividade, deficit de atenção, transtorno opositor desafiador), devido à encefalite que teve aos dois anos. tenho medo de que piore, pois está um pouco estabilizado o comportamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vdd, "Unhown", sobre risperidona já deves ter lido, tanto aqui neste blog quanto no blog TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM. É um psicotrópico potente, com sérios riscos e efeitos colaterais perversos, que podem detonar com a vida de uma criança-jovem. Não sei que idade ele está nem como é seu quadro.

      O outro psicotrópico (Torval) é indicado para epilepsia (não mencionas este diagnóstico para ele).

      Assim, nem pensar em suspender "de cara" estes quimicos tão fortes, pois as consequências podem ser imprevisíveis e difíceis de contornar.

      O desmame vai depender do grau dos transtornos diagnosticados, do tempo em que ele já está nestas medicações pesadas e se já apresenta alguns distúrbios decorrentes do uso destes psicotrópicos (Os médicos costumam chamar de 'comorbidades', como se fosse decorrência da própria "doença" qando, na verdade, na maioria das vezes, são puro efeito colateral pelo uso dos remédios - consta na própria bula!!!)

      Assim, é preciso que aconteça o desmame, gradativamente diminuindo e espaçando as doses. Um homeopata vai indicar homeopatias específicas. É preciso que o homeopata (ou o fitoterapeuta) conheça as interações entre alopáticos e homeopáticos-fitoterápicos, pra evitar complicações. Uma vez tendo este conhecimento, tudo maravilha.

      Por isso é que muitas mães e pais procuram um terapeuta floral que pode usar as essencias florais como adjuvante dos psicotrópicos alopáticos, sem apresentar risco algum para a saúde, já que essências florais são isentas, totalmente liberadas pelo Ministerio da Saúde.

      Independente de tudo, te informa bastante, lê bastante. Segue tua intuição.

      Alopáticos são pesados. Há outras alternativas.

      Boa sorte, amig@! Daqui, fico torcendo pelo melhor!!
      Beijos!

      Excluir
    2. querendo, entra no blog TDAH CRIANÇAS QUE DESAFIAM. Tem muita explicação por lá. O que por vezes damos como caso grave, na verdade se trata de moderado e, em algumas situações, até leve!

      Felicidades!

      Excluir
  5. Dra Marise
    Por favor poderia me indicar um proofissional que trate com homeopatia ou florais no Rio de Janeiro
    Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, por favor, dá uma olhadinha com calma neste link. http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/2015/09/relacao-de-profissionais-brasileiros.html

      Excluir
    2. E, caso não tiver nenhum homeopata relacionado, please, vai na farmácia de manipulação mais próxima de tua residência, fala com o farmacêutico responsável e pede uma indicação. Eles possuem um controle dos homeopatas através das receitas que recebem pra manipulação. Podem te fornecer um desses endereço.

      Desejo Felicidades, querid@!

      Excluir