terça-feira, 7 de outubro de 2014

Vacinas Infantis - Autismo - HPV - Suspeitas e Estudos - Thimerosal e Gardasil - Países que proibiram


Hiperatividade. Cientista da UnB é um dos defensores do não uso de ethylmercúrio e alumínio nas vacinas infantis, devido à suspeita de autismo. Vacinas Infantis - Autismo - HPV - Suspeitas e Estudos - Thimerosal e Gardasil 



Página de links: Artigos em ordem alfabética (Clique no título de seu interesse)


Itália  2017  Governo baixa decreto para obrigar pais a vacinar filhos - Ou vacina ou os filhos não poderão mais frequentar a escola! 
Video - 

Alerta sobre uso de mercúrio em vacinas - Palestra Mercúrio Zero





Mais sobre o tema, neste blog:



 Marise Jalowitzki é educadora, escritora, blogueira e colunista. Palestrante Internacional, certificada pelo IFTDO - Institute of Federations of Training and Development, com sede na Virginia-USA. Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas. Criou e coordenou cursos de Formação de Facilitadores - níveis fundamental e master. Coordenou oficinas em congressos, eventos de desenvolvimento humano em instituições nacionais e internacionais, escolas, empresas, grupos de apoio, instituições hospitalares e religiosas por mais de duas décadas Autora de diversos livros, todos voltados ao desenvolvimento humano saudável. marisejalowitzki@gmail.com 

Livro: TDAH Crianças que desafiam 

Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família
Contra o uso indiscriminado de metilfenidato - Ritalina, Ritalina LA, Concerta

Para conhecer mais e adquirir, acesse: 





Atualização da Petição em 18.setembro.2015 - Video com Dr.José Dórea, da UnB - Brasília - Defensor Internacional da  erradicação dos conservantes tóxicos nas vacinas, especialmente as vacinas infantis

Alerta sobre uso de mercúrio em vacinas - Palestra Mercúrio Zero




Apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar que não há nível seguro para o mercúrio, contraditoriamente recomenda seu uso em vacinas. Por isso, a maioria dos países, incluindo o Brasil, usa vacinas conservadas com timerosal em seus programas de imunização.

No Brasil, em 8 de Junho de 2001, o Diário Oficial da União publicou a Resolução nº 528, do Ministério da Saúde (de 17 de Abril do mesmo ano), que suspendeu a venda de produtos à base de timerosal (como o mertiolate e o mercurocromo) em todo o país. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu o uso desse composto alegando tratar-se de uma substância mercurial que oferecia risco de toxidade aos usuários. Em seu comunicado à imprensa, a Anvisa diz que a decisão foi tomada "tendo em vista a tendência mundial da diminuição da exposição de seres humanos a produtos à base de derivados de mercúrio", e determina a imediata "proibição da utilização de derivados de mercúrio em medicamentos fabricados no Brasil, exceto vacinas". O comunicado esclarece ainda que "o tiomersal (derivado de mercúrio) não será usado como remédio, mas apenas como conservante de vacinas, por recomendação da Organização Mundial da Saúde". [Wikipedia - Timerosal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário