sábado, 12 de setembro de 2015

TDAH, Ritalina e Risperidona - Qual a Hora de Parar



Para os que tem dúvidas em relação à medicalização de psicotrópicos em crianças - Ritalina não é para agitação ou ansiedade!  Risperidona e o crescimento de mamas



Por Marise Jalowitzki
12.setembro.2015
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/09/tdah-ritalina-e-risperidona-hora-de.html
LinkedIn: https://www.linkedin.com/pulse/article/tdah-ritalina-e-risperidona-hora-de-parar-marise-jalowitzki/edit


Uma avó contata para comentar sobre seu neto:
"Tenho um   neto de 12 anos q toma ritalina LA de 20mg  ja faz  5anos e risperidona de 20 mg há um ano e meio. Só q de 2anos pra cá ele  mudou redicalmente: era um menino  mto elogiado na escola pois sempre entrava em férias antes de terminar o ano,  mas, do ano passado  até agora ele n demostra mais interesse pelos estudos, n copia  nda  e so temos reclamações dele diariamente, ele tem acompnhamento c psiquiatra e  terapia mas nda está adiantando; eh agressivo, n tem medo de nda e de ninguem...  sera q a medicação está errada? pois diagnostico diz q ele eh hiperativo. Se puder me ajudar, fico muito grata."

Risperdal (risperidona) é um antipsicótico. Cuidado com os efeitos colaterais!!!
 É assim mesmo que os psicotrópicos agem, amiga, com a maioria das pessoas. No início dão o efeito desejado e todos "gostam", por vezes até a própria criança, pois ela já está 'convencida' de que só vai funcionar bem quando tomar os "comprimidinhos mágicos"!!!


Psicotrópicos não são doces, nem balas!
Acontece que, como todo remédio controlado (em um tempo que varia de pessoa pra pessoa) começam a retornar as mesmas reações e comportamentos que levaram os pais a medicar (por orientação dos médicos alopatas) e tudo fica igual ao que era antes e, com certeza, novas reações adversas, muito ruins, aparecem também, como efeito colateral ( side effects). Aí, os medicos dizem que são as comorbidades. Como se fossem as "doenças", os "transtornos neurológicos" incubados, por assim dizer, como se fossem próprios da pessoinha, quando, na verdade, são decorrentes do uso prolongado dos psicofármacos e seus efeitos adversos!!!

E começa a roda viva! troca de medicamento, aumenta a dose, receita mais outro e mais outro... até poder acontecer algo pior, o que é mais comum do que se pensa!! só que não é divulgado! Há médicos que, quando o pai ou a mãe levam a informação, demonstram surpresa e recolhem a receita...

Teu netinho até que aguentou com força durante todos estes anos! Com a chegada da puberdade, uma carga extra de testosterona (que pode chegar a 800%!!), lógico que vai aumentar a agressividade!!  Tanto a ritalina como a risperidona são perversas para muitas crianças (qual o psicotrópico que não acaba sendo, em tantos e tantos casos?).  O cérebro infantil está em desenvolvimento, as "paredinhas" entre um campo e outro são permeáveis, deixando a química entrar em diferentes áreas, não apenas o córtex frontal. Ele deve estar com pensamentos violentos já, pela ritalina (muitos dos médicos alopatas que receitam, desaconselham o uso por mais de 2 anos!), pensamentos de destruição e autodestruição. E a risperidona, além do que já foi enumerado antes, tem efeitos colaterais muito ruins também fisicamente: crescimento dos mamilos (gynecomastia), alteração em sua sexualidade devido ao excesso de hormonios femininos contidos no risperidona (alguns já publiquei em artigos, outros ainda estou construindo). Imagina que zorra deve estar ocorrendo em seu interior, em uma fase que está recém começando, fase desafiante como é a puberdade!



Não sei qual a tua influência junto à mãe do garoto. Até porque a própria associação brasileira declara flagrantemente que "avós são de outro tempo", desqualificando as possíveis opiniões contrárias à medicalização. Mas, com certeza, hora de rever e tentar parar com estes psicofármacos tão pesados. Coisa que, aliás, pode ser evitada em várias situações, desde o início, caso a nossa medicina não fosse tão tendenciosa e a maioria dos médicos se detivessem, efetivamente, em uma observação diagnóstica criteriosa!!

Entretanto, ele não pode suspender o uso dos psicotrópicos "de soco", sob pena de ficar em risco, incluindo risco de vida! Importante procurar um neuropediatra homeopata para ir diminuindo  aos poucos os dois psicotrópicos. A homeopatia faz isso. Dinamiza na medida conveniente ao corpinho-situação individual. Conjuntamente, vai tomando outra homeopatia para lidar diretamente no foco dos sintomas, como a agressividade.

E, como deves estar acompanhando, sou fã também dos Florais de Bach, sendo o Rescue Remedy o coringa. Ele é um composto de 5 essências, que age desde os medos dele, até as reações que os demais deploram. Pode ser usado conjuntamente com os demais, podes passar nos pulsos (parte interna) e nuca (locais com grande confluência de artérias e nervos). Podes passar no travesseiro, podes aspergir no ambiente. É liberado pela ANVISA e adquire nas farmácias homeopáticas. Também existem compostos dos chamados "chazinhos" que, combinados, dão um resultado muito bom! Mulúngu (ou molungu), erva cidreira, erva de são joão (hipérico), maracujá.

Agora, além de tudo isso, e principalmente, este querido precisa ser ouvido. Precisam saber o que ele pensa, o que ele está sentindo, o que ele quer da vida, onde quer chegar e como quer chegar. Ele precisa se sentir respeitado e, principalmente, bem querido!! Os pais e os educadores precisam se preparar para esta nova etapa, sob pena de ações bem tristes, que podem ir desde a fuga de casa (sei de vários casos), agressões familiares e outras, até danos sérios a si mesmo!! Pais que insistem no aumento das doses geralmente chegam aqui para relatar a contenção do filho, a internação do filho... considerando-o "um caso perdido", um "louquinho"!!!

Muitos garotos, nas escolas, falam bem isso para professoras da Sala de Recursos: "Minha mãe acha que sou doido, por isso me dá ritalina! Mas, eu só tomo na hora da prova. Ela não sabe e a senhora não vai contar, né?"

Muito, muito triste tudo que anda acontecendo!!
Boa sorte, amiga!



Do Livro TDAH Crianças que Desafiam

"Pais excessivamente controladores, precavidos e-ou ansiosos, podem criar uma zona de silêncio dentro do filho, que ele somente será capaz de romper se ele for dotado de uma teimosia desafiadora. Instauram-se conflitos, uma grande explosão, imprevisibilidade. Entretanto, quanto maior o silêncio, mais o jovem será infectado pelo medo, minando sua autoconfiança e tornando-se menos autoconsciente de quem é e do que quer. (...) 

Quanto mais falta de escolha para viver a sua vida, quanto maiores as dúvidas e os medos do futuro, quanto maiores as críticas, mais adolescentes revoltados. Insurgentes. Ou deprimidos. (...) As coisas, em uma mente em formação, podem se potencializar em curto espaço de tempo." (pág 155)


----------------------------------------------
Artigo publicado também no LinkedIn
https://www.linkedin.com/pulse/tdah-ritalina-e-risperidona-hora-de-parar-marise-jalowitzki


Mais sobre a Ritalina:
"Não tome Ritalina® se você 
sofre de ansiedade, tensão ou 
agitação...  

Quem entende? Diz na Bula - Ritalina não é para agitação ou ansiedade!

Segundo resultados de uma pesquisa publicada em maio de 2013, nos EUA, nove em cada dez médicos receitam psicotrópicos para crianças logo na primeira consulta. 
Por Marise Jalowitzki



Mais sobre a Risperidona:

90% dos pacientes que ingerem Risperdal (Risperidona)
possuem níveis elevados de prolactina.
A prolactina controla o desejo sexual em homens. 




Há relatos de desejo sexual alterado e até de produção de leite em tratamentos prolongados!
http://compromissoconsciente.blogspot.com.br/2015/02/risperidona-e-o-crescimento-de-mamas.html




Inclusão e Inserção



Marise Jalowitzki
Compromisso Consciente

Escritora, Educadora, 
Idealizadora e Coordenadora do Curso Formação para Coordenadores em Jogos e Vivências para Dinâmica de Grupos,
Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela FGV,
Facilitadora de Grupos em Desenvolvimento Humano,
Ambientalista de coração, Vegana.
Certificada como International Speaker pelo IFTDO-VA-USA
marisejalowitzki@gmail.com 
compromissoconsciente@gmail.com 



Livro: TDAH Crianças que Desafiam 
Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família
Contra o uso indiscriminado de metilfenidato - Ritalina, Ritalina LA, Concerta

Acesse: 
http://www.compromissoconsciente.com.br/
http://tdahcriancasquedesafiam.blogspot.com.br/
ou entre em contato direto:
marisejalowitzki@gmail.com 
TDAH Crianças que Desafiam - Como Lidar com o Déficit de Atenção e a Hiperatividade na Escola e na Família





Nenhum comentário:

Postar um comentário