quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Bush e Obama - Iraque e Egito - Diferenças estratégicas


Egito - Povo quer renúncia de Mubarak e Obama intercede
  
 
Bush e Obama - Iraque e Egito
Diferenças Estratégicas



Por Marise Jalowitzki
02.fevereiro.2011

Bush e o Iraque

O ex-presidente dos EUA, George Bush Jr., há apenas alguns anos, enviou suas tropas para o Iraque, quando movimentos populares quase ínfimos em relação a esse que se observa no Egito, manifestavam sua insatisfação frente ao governo ditatorial de Sadam Hussein . 

As tropas de Bush invadiram o país, explodiram e mataram. Durante anos. Enquanto seus soldados comiam areia e exterminavam exército e civis iraquianos sem piedade, movimentos populares nos EUA gritavam SHAME, SHAME!

As indústrias norte-americanas da morte, que o reelegeram, exigiam o escoamento das armas. Bush também queria os poços de petróleo do Iraque e não poupou esforços nesse sentido. Não levou. 

Após a derrocada do regime, caçou incessantemente o ex -ditador Husseim, jurava com as mãos sobre a Bíblia que fazia isso em nome de Deus, para "libertar o povo iraquinao". Os próprios iraquianos queriam que EUA saísse do país.


Era Bush - Învasão ao Iraque - Shame!!
 Quase todos os dias tinha-se notícias de que algum poço de petróleo havia sido explodido pelas forças contrárias à ocupação americana, em um recado claro de que o petróleo não iria para as mãos do governo norte-americano. Não queriam a ocupação. Não queriam a intervenção.

Quando os soldados norte-americanos encontraram Husseim (alguns dizem que foi um dos 08 sósias que ele tinha), sujo, faminto e debilitado, inexplicavelmente, "vazou" o video com os últimos minutos de vida e os detalhes da execução, em um claro e afrontoso insulto aos direitos humanos, ao direito de morrer.

A invasão, naqueles anos sombrios, aconteceu sob a alegação de que "os EUA apoiam o direito democrático do povo decidir quem quer governá-lo". Sangue e destruição escrevem até hoje aquele vergonhoso e triste episódio.


Obama e o Egito

 
 
Obama aposta no diálogo com Mubarak.
Estamos na torcida para que dê certo pacificamente.

 Barack Obama, em 2011, usa de estratégias diplomáticas, investe no diálogo, tenta pacificar os ânimos dos integrantes do governo, conversa diretamente, por telefone, por meia hora, com Mubarak.

Aposta na transição governamental.

Pede calma ao povo, em especial aos estudantes. Egito é centro estratégico para os EUA no Oriente Médio.

Obama não quer ferir ninguém, não quer tomar partido diretamente para nenhum dos lados pois, embora EUA tenha em Mubarack um aliado, caso as coisas não mudarem, terá o mundo contra ele. Caso mudarem e Mubarak for deposto, EUA terá de estar estrategicamente bem para que o território egípcio continue sendo geograficamente viável como até agora vem sendo.


Chega de derramar sangue inocente. 300 pessoas mortas é demais para um anseio de liberdade merecido!

Egípcios, estamos com vocês!

Marise Jalowitzki
Escritora
Porto Alegre - RS - Brasil

---------
Links relacionados neste blog:
Povo do Egito - Exemplo para o mundo!
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/povo-do-egito-exemplo-para-o-mundo.html

Hosni Mubarak - É chegada a hora!
http://compromissoconsciente.blogspot.com/2011/02/hosni-mubarack-e-chegada-hora.html

--------

Link-fonte:
Protesto contra presidente reúne 1 milhão de pessoas no Egito
http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4923350-EI17594,00-Protesto+contra+presidente+reune+milhao+de+pessoas+no+Egito.html
------------------
 


Um comentário: