sexta-feira, 18 de junho de 2010

O TRABALHO COMO PRODUÇÃO DO SIGNIFICADO


O TRABALHO COMO PRODUÇÃO DO SIGNIFICADO
Patricia Carvalho




Desde a Revolução Científica passando pela Revolução Industrial, da Informação e agora do Conhecimento, grandes foram as transformações sócio-econômicas e ético-culturais que afetaram profundamente a existência humana gerando paradigmas e crises de padrões.

Com as mudanças ocorridas, também mudou o conceito de trabalho ao longo do tempo de acordo com o contexto histórico e social. No final do século XX a interdependência entre sociedade e organizações fortaleceu-se, pois as empresas ampliaram seu papel na vida das pessoas e da sociedade como um todo.

A cada mudança o indivíduo depara-se com uma nova realidade, a qual é necessária adaptar-se e o trabalho, em cada momento, assume um significado diferente, mas não deixa de ser a busca por atender às suas necessidades, atingir seus objetivos e realizar-se plenamente.

Nas sociedades antigas o trabalho estava ligado às necessidades básicas e algo que não valorizava nem a tarefa nem o indivíduo. Depois o trabalho passou a ser percebido como o esforço físico ou intelectual direcionado para algum fim.

A valorização extrema do trabalho ocorreu na era industrial, quando acenou com a liberdade e deu possibilidade ao homem de transformar a natureza, as coisas e a sociedade passando então, a ter significados diferentes para as empresas, que o entendiam como importante para a manutenção do sistema produtivo; para os trabalhadores, como elemento constitutivo e fundamental de sua personalidade e para a sociedade, como integrador social.


Na sociedade moderna o trabalho foi compreendido como o esforço coletivo, em que toda humanidade deveria participar.


Atualmente, com a globalização da economia, o trabalho continua a ser a atividade central que estrutura a vida dos indivíduos e da sociedade em geral, mas surgem vários significados não para o trabalho, mas para os trabalhadores, que deixaram de ser empregados e passaram a ser considerados como parceiros, colaboradores, recursos humanos, capitais humanos, talentos humanos etc., mas não se pode perder de vista que o significado do trabalho, o sentido que ele tem para quem o realiza é o que possibilita à organização alcançar eficácia, mantendo-se competitiva.


Alguns fatores devem ser considerados importantes na produção de sentido para o trabalho realizado, como por exemplo: autonomia, reconhecimento, possibilidade de desenvolvimento e crescimento, sentimento de pertencer ao grupo, gerar satisfação e realização, afirmação de identidade por meio das atribuições individuais e o trabalho precisa gerar um impacto positivo não apenas para quem o realiza, mas para a sociedade no geral.


E aí? Que sentido tem o trabalho que as pessoas realizam na sua empresa?
Pense nisso,


Um Abraço!


__________________________________________________

Patrícia Carvalho é psicóloga organizacional, responsável pelo núcleo de desenvolvimento humano e organizacional do Instituto ABC de Pesquisa, Formação, Desenvolvimento Humano e Organizacional, localizado na cidade de São Bernardo do Campo - SP.

E-mail: patriciacarvalho@abcinstituto.com.br
contato@abcinstituto.com.br

Um comentário:

  1. Gostei deste artigo, Querida Patricia! Ele abre um enorme leque para novas reflexões.
    Um deles é: o aceno de liberdade que a era industrial proporcionou. Entretanto, acabou se tornando, para o operariado, uma nova forma de servilismo. "Mãos-de-obra" e não "cabeças-pensantes". Com certeza, há que se rever.

    Estamos no caminho, mas falta TANTO! Ainda percebe-se um tão grande número de gestores utilizando os termos "colaboradores" e o tratamento pessoal continua sendo autocrático e egóico.

    Abraços!

    ResponderExcluir